R$ 50 milhões deixam de circular por dia com a parada da compra de tabaco

 

30 Iro Schünke, presidente do SindiTabaco (Foto Junio Nunes)
Iro Schünke, presidente do SindiTabaco – Foto: Junio Nunes/SindiTabaco/Divulgação

Representantes das empresas associadas ao Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco) estiveram reunidos nesta quarta-feira (30) para avaliar os prejuízos causados com a paralisação dos caminhoneiros. Desde o início da semana, praticamente todas as empresas estão com o processo parado devido à falta de insumos para operação de caldeiras e empilhadeiras como o gás GLP, óleo combustível e lenha. Os serviços terceirizados de transporte e de alimentação dos trabalhadores também estão comprometidos devido à falta de diesel, gás e alimentos.

No processo de compra da matéria-prima, o tabaco cru, a estimativa é de que R$ 50 milhões ao dia estão deixando de circular devido a não comercialização do tabaco. Há ainda uma preocupação com o produto que está nos caminhões e que pode ter sua qualidade prejudicada pela temperatura e umidade. Com relação às exportações, até o momento cerca de US$ 60 milhões deixaram de ser embarcados. Os prejuízos também se somam às horas paradas de cerca de 10 mil trabalhadores.

Segundo o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke, a retomada do trabalho nas empresas dependerá do fornecimento dos insumos essenciais para o processo. Enquanto isso não acontece, além dos prejuízos já mencionados, o setor teme outros reflexos futuros. “O processo e os embarques parados podem comprometer a expectativa de exportação de tabaco durante o ano e afetar clientes internacionais, devido ao não atendimento do cronograma de entrega, além de favorecer países concorrentes. Por outro lado, há ainda a preocupação com a entrega de insumos da nova safra, o que pode afetar o início da produção de mudas nos canteiros”, avalia o executivo.

 

AGROEMDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: agroemdia@gmail.com - (61) 992446832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: