Avanços para inovação tecnológica

NovoMarcoLegaLCTI

Waldir Leite Roque/Prof. Titular, UFPB

O Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação (MLCT&I), Decreto 9283, foi finalmente regulamentado no último dia 9 de fevereiro. Em princípio, este é um instrumento importante para orientar e ordenar as relações entre os três principais agentes promotores da inovação, que são a academia e o primeiro e segundo setores. Mas este instrumento só será efetivo se cada um dos agentes se apropriarem dele, procurando torná-lo uma realidade, com ações concretas. 

As universidades públicas precisam agir com rapidez, seriedade, serenidade e, sobretudo, com firmeza, para que o MLCT&I seja disciplinado o quanto antes, permitindo a academia atuar legalmente nas parcerias com os demais agentes. As universidades precisam abrir as suas portas para servirem, também, como prestadoras de serviços de alto nível com a utilização de seus laboratórios e recursos humanos em prol da transferência de tecnologia, promovendo a inovação e competitividade dos produtos brasileiros, além de melhorar a qualidade do ensino, pesquisa e de suas próprias instalações físicas.

Nos últimos anos, a Suíça tem se mantido em primeiro lugar da inovação tecnológica mundial. Isso se deve, fundamentalmente, ao fato de os seis principais institutos de tecnologia daquele país terem uma forte interação com os setores produtivos. O orçamento conjunto anual dessas instituições é de 3,7 bilhões de dólares, porém a receita gerada é de 14,2 bilhões de dólares, quatro vezes mais do que é investido. Por outro lado, verificou-se que cerca de 98.700 empregos são gerados apenas na Suíça como consequência. Levando-se em consideração que tais instituições têm 21 mil empregados, isso significa que cada empregado é responsável por criar cinco novos empregos.

Não é apenas em termos econômicos que devemos medir o impacto das atividades exercidas pelas universidades, há uma gama de contribuições para a sociedade e país que devem ser também consideradas, sendo estas potencializadas quando se tem uma maior integração e cooperação entre os agentes da inovação. O MLCT&I pode ser a chave de acesso para um novo modelo de abertura e contribuições das universidades brasileiras.

*Publicado originalmente no Correio do Paraíba     

 

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: