Brasil é autorizado a exportar embriões bovinos in vitro para a Índia

guilherme marques mapa 7 8 18
Guilherme Marques, diretor do DSA/Mapa – Foto: Carlos Silva/Mapa/Divulgação

O Brasil já pode exportar embriões bovinos in vitro para a Índia. Nesta terça-feira (07), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) recebeu comunicado do governo indiano autorizando o início dos embarques para o país. A exportação é feita por via aérea.

Segundo o Mapa, o Departament of Animal Husbanfry, Dairying & Fisheries of Ministry of Agriculture and Farmers (DAHD/MAFW) indiano aprovou o Certificado Zoossanitário Internacional (CZI) elaborado pelo Departamento de Saúde Animal do ministério (DSA).

Em nota, o Mapa informa que os embriões, a exemplo do sêmen, são armazenados em paletas ou ampolas, contendo em cada unidade embriões de uma única origem (fêmea), conservados normalmente em nitrogênio líquido.

De acordo com o diretor do DSA, Guilherme Marques, a autorização do Serviço Veterinário Indiano para a importação do material genético bovino do Brasil demonstra o reconhecimento internacional às condições sanitárias dos rebanhos brasileiros, além da credibilidade da certificação veterinária nacional.

A negociação sanitária avançou durante a 84ª Expozebu, em Uberaba (MG), no primeiro semestre. Na exposição, foram realizadas rodadas de negociação com nove países interessados em importar material genético e animais de reprodução do Brasil. No final do evento foram firmados protocolos sanitários.

O diretor lembrou ainda que a Índia sempre foi fornecedor histórico de material genético zebuíno para o Brasil. A Índia é o país de origem do gado Zebu, mas o melhoramento genético realizado no gado zebuíno brasileiro trouxe resultados em ganhos de produtividade, o que o tornou atraente a produtores indianos.

Protocolos

Em relação à exportação de embriões bovinos in vitro, desde agosto de 2016 vêm sendo assinados protocolos sanitários com diferentes países. Atualmente, produtores brasileiros podem vender esses embriões ao Paraguai, à Bolívia, ao Uruguai, à Argentina, a Colômbia e ao Equador.

A produção in vitro de embriões (PIVE) é utilizada para aumentar a produtividade por possibilitar a multiplicação rápida e o aumento do número de descendentes oriundos de animais melhoradores de plantéis. Inicialmente, essa técnica era aplicada no Brasil apenas para fins de pesquisa, mas, na última década, passou a ser usada em larga escala para a multiplicação comercial, tornando o país o maior produtor mundial e de referência no uso de PIVE em bovinos.

Da redação, com Mapa 

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: