Bolsonaro admite rever fusão da Agricultura e Meio Ambiente

bolsonaro 25
Fusão das duas pastas é praticamente descartada por Bolsonaro- Tânia Rêgo/Agência Brasil

A fusão dos ministérios da Agricultura e Meio Ambiente é praticamente carta fora do baralho na montagem do governo Bolsonaro, caso ele seja eleito presidente neste domingo (28), como indicam as pesquisas de intenção de voto para o segundo turno da disputa. O próprio candidato do PSL se mostrou disposto a rever a proposta, dizendo que quer o melhor para o país.

A manifestação do presidenciável foi um alívio para o setor agropecuária, cujos representantes não escondiam a preocupação de que a medida pudesse prejudicar as exportações brasileiras. Eles temiam que a fusão dos dois ministérios viesse a ser usada pelos mercados concorrentes, especialmente o europeu, para impor novas barreiras ambientais aos produtos agrícolas do Brasil.

Bolsonaro falou sobre o assunto em entrevista ao Jornal Nacional, da Rede Globo, nessa quarta-feira (24). Antes do presidenciável, o produtor rural Nabhan Garcia, um dos principais interlocutores do presidenciável no setor agrícola, afirmou que fundir as duas pastas “sem ouvir a sociedade seria um ato de um governo radical”.

Presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Nabhan acrescentou: “Podemos inclusive, sim, rever essa questão da fusão da pasta da Agricultura com o Meio Ambiente. Se tiver que funcionar a pasta da Agricultura aqui e o Ministério do Meio Ambiente lá, tudo bem. Vai valer a vontade da maioria da sociedade brasileira.”

De acordo com o site UOL, o presidente da UDR, cujo nome já chegou a ser cotado para o Ministério da Agricultura, deu a declaração pouco depois de conversar com Bolsonaro, no Rio de Janeiro. Tudo indica que ele – até então um defensor da fusão da Agricultura e do Meio Ambiente – tenha sido orientado pelo presidenciável a também rever sua posição.

Em encontros recentes com representantes do agro, Bolsonaro tem dito que quer nomear para o Ministério da Agricultura alguém indicado pelo setor produtivo. A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), que reúne cerca de 200 deputados federais e senadores, pretende entregar ao presidenciável uma lista com indicações.

Um dos nomes com maior apoio na bancada ruralista é o da presidente da FPA, deputada Tereza Cristina (DEM-MS), mas outros também são cogitados, como o da senadora Ana Amélia Lemas (PP-RS) e de Blairo Maggi, ministro da Agricultura.

Nabhan enfatizou, após a reunião dessa quarta, que Bolsonaro reafirmou o compromisso de indicar para a Agricultura alguém apoiado base produtiva rural, o que pode ampliar o leque de opções de nomes para o cargo.

 

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta