Mapa ganha novo nome: Ministério do Alimento e Desenvolvimento Rural

tereza cristina 13 12
Futura Tereza Cristina vai priorizar a comunicação com a sociedade – FPA/Divulgação

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) vai trocar de nome.  Passará a se chamar Ministério do Alimento e do Desenvolvimento Rural. A mudança entrará em vigor a partir do próximo ano, já no governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro. A escolha do novo nome passou por avaliação da equipe de transição do Mapa, coordenada pela futura ministra, deputada Tereza Cristina (DEM/MS).

A mudança de nome busca dar mais ênfase ao principal objetivo da atuação do ministério: a de formular políticas públicas de apoio à produção de alimentos e ao desenvolvimento rural.  A troca visa ainda a reforçar que o trabalho realizado pela pasta nas áreas de agricultura, pecuária e abastecimento – ao qual se somaram a agricultura familiar, a aquicultura e pesca e os assuntos fundiários – busca atender consumidores e produtores.

Ao destacar o papel da pasta na garantia da segurança alimentar com sanidade e sustentabilidade, o próximo governo espera também aproximá-la mais da sociedade. A mudança faz parte ainda da estratégia da futura ministra Tereza Cristina de dar prioridade à comunicação, a fim de intensificar a sinergia entre os brasileiros das áreas urbanas e rurais, os produtores de alimentos de todas as regiões do país e o mercado externo.

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

7 comentários em “Mapa ganha novo nome: Ministério do Alimento e Desenvolvimento Rural

  • 13 de dezembro de 2018 em 12:19
    Permalink

    O ministério cresceu, mas o número de servidores só vem decaindo, há necessidade imediata de convocação de mais servidores para fiscalizar os frigoríficos, o ministro Blairo Maggi pediu ao planejamento por.meio do aviso 38/2017, mas ainda não nomearam os servidores para evitar que uma nova carne fraca aconteça, espero que a futura ministra resolva isso. Existem frigoríficos com graves deficiência de fiscalização, alimento é saude e com isso não há como se omitir e fiscalizar brandamente

    Resposta
  • 13 de dezembro de 2018 em 15:38
    Permalink

    Só queria entender a necessidade que cada governo tem de ficar mudando o nome dos ministérios. Isso fere a história e a identidade dos mesmos, além de aumento nos custos com a identidade visual desses, gerando um enorme gasto desnecessário aos cofres públicos. Acredito que existam coisas bem mais importantes a se preocupar do que com o nome dos ministérios.

    Resposta
  • Pingback:ClimaInfo - Notícias sobre mudanças climáticas, energias renováveis e muito mais.

  • 14 de dezembro de 2018 em 07:48
    Permalink

    Muito bom! Só falta o mistério incluir os engenheiros de alimentos como auditores fiscais federais e fazer justiça a essa classe que tem muito para contribuir no Ministério dos Alimentos e Desenvolvimento Rural.

    Resposta
  • 15 de dezembro de 2018 em 15:44
    Permalink

    Excelente a mudança do nome do MAPA para Ministério dos Alimentos e Desenvolvimento Rural com a inserção da Agricultura Familiar no contexto nacional.

    Resposta
  • 17 de dezembro de 2018 em 10:05
    Permalink

    Valorizar mas os servidores administrativos e não somente os fiscais federais que ja estão com um bom salário. Vamos fazer uma reavaliação dos servidores administrativos do quadro do MAPA que os salarios estão defazados e resolver a situação dos servidores que retornaram ao MAPA no regime errado o correto e regime RJU retornaram no regime CLT com isso o MAPA esta tendo uma despesa enorme em recolhimento de FGTS. VAMOS CONSERTAR ESSE ERRO INICIADO POR COLLOR DE MELLO.

    Resposta
  • 11 de janeiro de 2019 em 12:35
    Permalink

    Celulose, papel, madeira, látex, etanol é alimento? Agricultura nem sempre é alimento. E no mundo Inteiro: usa se a denominação agricultura seja nos departamentos ou miniaterios federais. E o Brasil continua preocupado com o sexo doa anjos.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: