Morre Gustavo Bebianno, ex-ministro do governo Bolsonaro

gustavo bebbiano foto marcelo camargo abr ebc
Ex-ministro Gustavo Bebianno sofreu infarto fulminante – Foto: Marcelo Camargo/ABR

Morreu na madrugada deste sábado 14, em Teresópolis, na região serrana do estado do RJ, o advogado Gustavo Bebianno, ex-ministro da Secretaria Geral do governo Bolsonaro. Aos 56 anos, ele sofreu um infarto fulminante por volta das 4h30, foi levado ao hospital, onde tentaram reanimá-lo, mas não resistiu. Bebianno era pré-candidato a prefeito da cidade do Rio de Janeiro.

A morte do ex-ministro foi confirmada pelo presidente estadual do PSDB, Paulo Marinho. Segundo ele, Bebianno se sentiu mal de madrugada e falou para o filho que não estava bem. Foi ao banheiro para ingerir um remédio e, minutos depois, sofreu uma queda, ferindo a cabeça.

Bebianno conheceu Jair Bolsonaro em 2017 e, logo em seguida, passou a trabalhar na sua campanha a presidente. Em 1º janeiro de 2019, foi nomeado secretário-geral do governo. Em 18 de fevereiro, em meio às denúncias de candidaturas laranjas no PSL, partido ao qual foi filiado e depois se desligou, o advogado deixou o governo. Desde então, passou a fazer críticas à gestão Bolsonaro. Atualmente, o ex-ministro era filiado ao PSDB.

Da redação, com informações do G1 e UOL

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Um comentário em “Morre Gustavo Bebianno, ex-ministro do governo Bolsonaro

  • 14 de março de 2020 em 08:52
    Permalink

    FAZEM ANOS, que estou alertando inclusive o Agro em Dia, quem não fuma, está morrendo cada vez mais cedo de câncer, AVC e infarto fulminante, enquanto os fumantes, conforme o banco de mortandade, o DATASUS,praticamente morrem de velhos, e sequer com doenças do cigarro. Bibbiano, é o exemplo recente, sem contar Bruno Covas, prefeito de SP, isso que são apenas famosos, agora pensem nos milhares de anônimos. Já falei, investiguem essa situação. Tem algo errado nos maleficios do cigarro. Estudem melhor.

    Resposta

Deixe uma resposta