Codevasf e parceiros avançam no reúso de água para produção de alimentos

Foto: Codevasf/Divulgação

A Codevasf e instituições parceiras avançaram para a fase de implantação de um projeto-piloto voltado ao uso de águas residuais na produção de alimentos. O objetivo do projeto é desenvolver tecnologias que permitam o reúso da água residual de estações de tratamento de esgoto na produção agrícola da região semiárida — especialmente para produção de hortaliças, forragens e manga.

Uma empresa contratada deverá elaborar o projeto executivo e implantar o sistema de irrigação do projeto-piloto, em área do projeto público de irrigação Senador Nilo Coelho, em Petrolina (PE). O projeto-piloto busca dar suporte ao desenvolvimento de ações, políticas e parâmetros de regulação para o reúso de água de esgoto tratado na produção de alimentos. De acordo com dados da Agência Nacional de Águas (ANA), a irrigação é a atividade que mais consome água no Brasil, à frente de abastecimento urbano; em regiões semiáridas, a irrigação é considerada fundamental para a produção agrícola.

“O projeto deverá gerar resultados de elevada importância, que poderão colaborar com mudanças de legislação e favorecer o desenvolvimento de políticas públicas voltadas para o reúso de água de esgoto doméstico tratado na irrigação de diversas culturas”, afirma Renato Brito Chaves, presidente do grupo de trabalho da Codevasf responsável por conduzir o projeto.

As ações empreendidas com o projeto-piloto envolvem o esforço conjunto de Codevasf, Ministério do Desenvolvimento Regional, Embrapa e Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), com o apoio da Compesa e da Univasf. As próximas fases do projeto incluem a assinatura de um acordo de cooperação técnica e a obtenção de autorização ambiental para o desenvolvimento das atividades.

O projeto-piloto tem como escopo adequar sistemas de produção de hortaliças, forrageiras e manga com água residual de esgoto doméstico tratado para as condições de solo e clima encontradas no projeto de irrigação Senador Nilo Coelho. Também serão avaliados os impactos do uso da água residual sobre o solo e a água da região e sobre as plantas e frutos em produção. O piloto será empreendido em área de um hectare, cedida para o desenvolvimento das atividades pelo proprietário do lote 635 do projeto de irrigação Senador Nilo Coelho.

“Esse tipo de projeto poderá incentivar o reúso agrícola nos projetos públicos de irrigação. Se associado ao desenvolvimento de arranjos produtivos locais na produção de forrageiras, poderá prover renda para os agricultores e segurança alimentar para os animais. Entre diversos outros benefícios, a tecnologia do projeto também poderá viabilizar uma alternativa de reúso de água para o Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf), pois muitos dos municípios que receberão as águas têm dificuldades de tratamento de águas residuárias”, acrescenta Renato Brito Chaves.

A Codevasf deverá orientar a implantação do sistema de irrigação do projeto-piloto e acompanhar as demais fases do projeto. O sistema de irrigação será composto por estação de bombeamento, abrigo de proteção para motobomba, equipamentos elétricos para acionamento do conjunto eletrobomba e sistemas de medição e fornecimento de energia elétrica, adutora para conduzir o efluente até a área piloto, sistema terciário de tratamento para hortaliças e sistema parcelar de irrigação constituído de rede de distribuição e de aplicação da água de reúso.

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: