Preço da mandioca sobe e volta ao patamar de outubro de 2020

Foto: Embrapa

A menor disponibilidade de raiz de mandioca neste ano e incertezas sobre a área e volume seguem dando sustentação aos preços da matéria-prima e também dos derivados. Dados do Cepea mostram que os valores atuais da raiz operam nos maiores patamares nominais desde outubro de 2020. Em termos reais, as cotações são as mais elevadas desde novembro de 2020.

Para este ano, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que a área a ser colhida com mandioca no país caia 2,6%, para 1,23 milhão de hectares. A produtividade média brasileira para 2021 deve ser de 15 toneladas/hectare, 0,8% maior que a do ano passado. Assim, a produção de mandioca somaria 18,6 milhões de toneladas, 1,8% abaixo da de 2020.

Do Cepea

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: