Importações de lácteos aumentam 15,4% de setembro para outubro, diz Cepea

Foto: Pixabay License

Apesar dos altos patamares do dólar – a média da taxa de câmbio em outubro foi de R$ 5,54 –, dados da Secex mostram que, de setembro para outubro, as importações de lácteos aumentaram 15,4%, totalizando 12,2 mil toneladas, informa a edição de novembro do Boletim do Leite do Cepea.

“O aumento das compras de derivados no mercado internacional esteve associado à oferta ainda restrita de matéria-prima no país e à diminuição do preço médio negociado, sobretudo da categoria de leite em pó – produto responsável por quase 53% das aquisições brasileiras no mês”, segundo as analistas Munira Nasrrallah e Juliana Santos, da Equipe Leite do Cepea.

De acordo com o boletim, as importações de leites em pó somaram 6,4 mil toneladas, 22% superior ao volume adquirido em setembro de 2021. Os países responsáveis pelas vendas do derivado foram Argentina (56%), Uruguai (39%) e Paraguai (4,6%), com preço médio de US$ 3,31/kg –5%abaixo do registrado no mês anterior (US$ 3,48/kg).

“Em seguida, destacam-se as importações de queijos que, apesar de terem recuado 2,1% em outubro, tiveram participação de 25% do total adquirido, com a Argentina responsável por 74% das vendas para o Brasil, negociado a US$ 5,28/kg – 15% acima frente a setembro de 2021”, assinala a publicação.

As exportações brasileiras, por sua vez, somaram 2,2 mil toneladas em outubro, volume 15,6% abaixo do verificado no mês anterior – esse cenário de retração vem sendo observado desde julho/21. Os embarques de creme de leite e de leite em pó registraram quedas de 36% e 69% de um mês para o outro, com volumes de 350 toneladas e 7 toneladas, respectivamente.

Para novembro, conforme o boletim, a expectativa é de um cenário desafiador para a indústria, já que as cotações dos derivados lácteos no mercado internacional estão em alta – no dia 2 de novembro, os preços negociados no leilão GDT (Global Dairy Trade) registraram aumento de 4,3% frente ao valor de outubro.

Balança comercial

Com o aumento nas importações de lácteos de setembro para outubro, o déficit na balança comercial subiu 18%, totalizando US$ 37,5 milhões. Porém, com relação ao mesmo período de 2020, o déficit está 37% inferior.

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

2 comentários em “Importações de lácteos aumentam 15,4% de setembro para outubro, diz Cepea

  • 23 de novembro de 2021 em 08:26
    Permalink

    Isso é uma vergonha um pais como o nosso que já foi e ainda é um polo produtor de leite importar leite e seus derivados a preço de dólar. O brasileiro não vai aguentar ter sua renda em real e pagar produto com inflação de dólar. Tudo isso é falta de incentivo do governo federal falta de programa de incentivo ao pequeno produtor falta de linhas de crédito a juros baixo aonde o produtor passa investir na pecuária de leite e termos preços justos.

    Resposta
  • Pingback:Importações de lácteos aumentam 15,4% de setembro para outubro - Agro - Boletim TrendsCE

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: