Programa Diques da Produção muda realidade da Baixada Maranhense

diques da producao
 Fotos: Samara Andrade/Agerp

Conhecida como “Pantanal Maranhense”, a região da Baixada Maranhense apresenta uma das paisagens mais belas do estado, formada pelo conjunto de rios e lagos que a tornam única no Nordeste. No período chuvoso, quando os campos ficam cheios, os produtores comemoram a fartura na mesa e a geração de renda que o período proporciona. Porém, a realidade muda completamente durante a estiagem, quando os campos secam deixando rastro de pobreza.

Produzir alimentos, criar animais e praticar a pesca artesanal ficam difíceis quando os campos secam na Baixada Maranhense. É esse cenário de pobreza e desesperança é que o governo do estado está ajudando a mudar nos últimos meses com a implantação do Programa Diques da Produção, que até o momento já está presente em 16 municípios com 17 obras concluídas.

O projeto prevê a construção de canais com o objetivo de armazenar a água dos campos e abastecer a produção dos agricultores. Além da construção do canal, serão implantados projetos produtivos com cultivos de açaí, banana ou caju, culturas temporárias e criação de peixes nativos da região.

A construção dos canais está sendo executado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes) e o acompanhamento aos agricultores com serviços de assistência técnica para instalação de arranjos produtivos é feito pela Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp).

“O programa é um marco de desenvolvimento na Baixada Maranhense. Essa intervenção do governo do estado alia política de produção e renda à preservação ambiental”, ressaltou o presidente da Agerp, Júlio Mendonça.

Ao todo, são 35 municípios beneficiados com o Programa Diques da Produção. Desses, 17 já concluíram as obras de construção de canais e estão iniciando os projetos produtivos, como no município de Mirinzal.

diques da producao 2

Povoado quilombola

Moradores do povoado quilombola Estiva dos Mafras comemoram a construção de dois canais de 500 metros cada um e já estão cultivando milho. O projeto beneficiará cerca de 50 famílias da comunidade que têm a agricultura como fonte de renda.

A agricultora Joana de Fátima, presidente da associação dos produtores, destacou que a comunidade ansiava há muitos anos a construção de um canal. “Esse projeto foi uma riqueza muito grande e iremos batalhar para o sustento do nosso povo”, disse.

Na cidade de Bequimão, o Programa Diques da Produção está beneficiando produtores do povoado Jacioca, onde foi construído um canal de 1.200 metros. Para o presidente da associação dos moradores, Emerson Pereira, as expectativas são grandes para o início dos arranjos produtivos no canal.

“É muito importante o projeto que vai beneficiar dezenas de famílias da comunidade e todos estão satisfeitos com a conclusão da primeira etapa de escavação e, agora, vamos começar a segunda etapa com o plantio das mudas,” ressaltou Emerson.

Na comunidade quilombola Malhada dos Pretos, em Peri Mirim, os beneficiários estão confiantes com o programa. O agricultor José Luís Pereira relatou que os pequenos agricultores terão como criar peixes nativos nos canais e frutíferas que irão fomentar a renda das famílias. “Esses diques têm uma importância muito grande, pois vai nos levar a um futuro melhor.”

Contenção e combate à salinização

Os Diques da Produção têm o objetivo de garantir a contenção de água e o combate da salinização dos campos naturais inundáveis e implantar grandes canais que permitirão armazenar água para desenvolver projetos.

Os 16 municípios já com obras concluídas e estão na fase de implantação de projetos produtivos são: Pinheiro, Bacurituba, Arari, Olinda Nova, São Vicente Ferrer, Cajapió, Penalva, Bequimão, Santa Rita, São João Batista, Viana, Anajatuba, Mirinzal, Palmeirândia, Peri Mirim e Matinha.

Da redação, com Agerp

 

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: