Minas Gerais debate desafios do setor produtivo da mandioquinha-salsa

mandioquinha salsa
Foto:  Nuno Madeira/Embrapa

Minas Gerais sedia, de terça (8) até quinta-feira (10) da próxima semana, dois importantes eventos do calendário do agro: o IX Encontro Nacional de Mandioquinha-Salsa e o I Encontro Latino Americano de Arracacha. O estado lidera o ranking nacional de produção da cultura, com uma safra estimada em mais de 67 mil toneladas, somente em 2017, em uma área superior a 4 mil hectares. A mandioquinha-salsa também é conhecida como batata-baroa, batata-salsa ou batata-aipo

As lavouras brasileiras de mandioquinha-salsa ocupam uma área equivalente a 15 mil hectares e movimentam cerca de R$ 2 bilhões anuais. As regiões Sul e Sudeste respondem por quase toda a produção. O Brasil divide com a Colômbia, onde a cultura é chamada de arracacha, o status de maior produtor mundial da cultura.

Os dois eventos são promovidos pela Embrapa Hortaliças em parceria com a Emater-MG. O objetivo é difundir tecnologias, promover a sustentabilidade no cultivo e debater os desafios da produção e na comercialização da mandioquinha-salsa. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas neste endereço: https://www.embrapa.br/hortalicas/encontro-mandioquinha-salsa.

O Encontro Nacional ocorre terça (8) e quarta-feira (9), em Pouso Alegre, com previsão de 400 participantes nas palestras e visita à exposição. “Trataremos dos principais problemas que depreciam a produtividade das lavouras, sistemas de preparo de mudas e de plantio, manejo e tratos culturais, cultivares tradicionais e melhoradas, além de debater acerca dos canais de comercialização”, detalha o pesquisador Nuno Madeira, da Embrapa Hortaliças.

No segundo dia, os participantes terão um dia de campo na região produtora do município de Senador Amaral, com visita a uma área de produção de mudas e a um lavador. Lá, será possível verificar o desempenho das variedades de mandioquinha-salsa e as boas práticas agrícolas. O almoço será com pratos à base de mandioquinha-salsa.

Na quinta (10), em Pouso Alegre, será realizado o I Encontro Latino-Americano de Arracacha, que reunirá especialistas do Brasil, Colômbia, Venezuela, Peru, Equador, Bolívia e Porto Rico para falar sobre o panorama da pesquisa e da produção de seus países.

“Nossa expectativa é promover o intercâmbio de conhecimento entre profissionais que estudam a mandioquinha-salsa nesses países e estabelecer uma rede de pesquisa em torno da cultura, tendo como subsídio as demandas dos produtores”, comenta Madeira.

Novas variedades

Durante o evento, os técnicos e produtores terão a oportunidade de observar no campo o desempenho das duas novas variedades de mandioquinha-salsa da Embrapa Hortaliças: as cultivares BRS Rúbia 41 e BRS Catarina 64, que se destacam por apresentar produtividade até 80% maior que a variedade Amarela de Senador Amaral, lançada há duas décadas também pela Embrapa e que hoje domina 95% da área nacional plantada com essa raiz.

Além de melhorar o desempenho da produção, os pesquisadores pretendem diversificar geneticamente as lavouras, hoje com hegemonia de uma única variedade. “A expectativa é que, em três anos, as variedades Rúbia e Catarina atinjam 50% da área cultivada hoje na região,” prevê Juary Moreira, responsável técnico pelo escritório local da Emater-MG, em Munhoz, no sul de Minas.

As duas variedades apresentam características desejadas, como formato cilíndrico, coloração amarela intensa, aroma e sabor característicos. Além do alto potencial produtivo, elas têm maior produção de mudas por plantas.

Produção de mudas certificadas

Madeira ressalta a importância das mudas certificadas para garantir a qualidade. “As novas variedades que estão sendo disponibilizadas têm a garantia de boa procedência e de que foram produzidas de acordo com manejo proposto para mudas, que difere do manejo para produção de raízes”, esclarece.

Por meio de edital de oferta pública, a empresa Eagle Flores, Frutas & Hortaliças Ltda está à frente do processo de produção e comercialização de mudas certificadas de mandioquinha-salsa no Brasil, pela primeira vez em escala comercial. A previsão é que de abril até agosto deste ano sejam comercializadas cerca de 4 milhões de mudas das duas novas variedades.

Sul de Minas

No sul de Minas, a produção de mandioquinha-salsa se destaca nos munícipios de Ipuiuna e Espírito Santo do Dourado, nas regiões de Guaxupé e Pouso Alegre, respectivamente.

Esses locais, com altitudes superiores a 1.000 metros, têm as condições ideais para o cultivo e o desenvolvimento da hortaliça, principalmente o clima ameno o ano inteiro, como ocorre na região andina, centro de origem da mandioquinha.

A mandioquinha-salsa foi introduzida no Brasil no início do século XX e ganhou espaço nas regiões serranas do Sul e do Sudeste. Mais recentemente, a cultura também tem sido produzida no Planalto Central, em locais com altitude superior a 1.000 metros.

Da redação, com informações da Embrapa

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: