China impõe restrições ao frango brasileiro; medida é retrocesso, diz ABPA

frangos brasil 8 6
Foto: EBC/Arquivo

A China adotará medidas antidumping temporárias sobre as importações de frango do Brasil a partir deste sábado (9), anunciou nesta sexta-feira (8) Ministério do Comércio, alegando que a indústria doméstica sofreu danos substanciais. Em nota, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) critica a decisão da China, dizendo que representa um retrocesso nas relações comerciais entre os dois países, e   reafirma que não há qualquer nexo causal entre as exportações de carne de frango do Brasil e eventuais situações mercadológicas locais.

Segundo a Agência Reuters, os importadores chineses que compram frango brasileiro deverão fazer depósitos que variam de 18,8% a 38,4% do valor. As medidas cobrem os produtos fornecidos pelos exportadores brasileiros JBS e BRF. A decisão é provisória, e em agosto a China deverá anunciar sua posição definitiva. A ABPA informa que continuará a trabalhar no processo, neste período, buscando reverter a situação imposta temporariamente.

“Durante o período de investigação de danos, a quantidade de produtos importados e a participação de mercado do Brasil aumentaram continuamente, e os preços de produtos domésticos similares foram drasticamente reduzidos, causando sérios danos às indústrias domésticas”, disse o Ministério do Comércio chinês, segundo o qual o Brasil respondeu por mais de 50% do fornecimento de produtos de frango para a China, o segundo maior consumidor mundial de aves, entre 2013 e 2016.

De acordo com a APBA, os esclarecimentos apresentados pelo setor produtivo e pelas agroindústrias exportadoras de frango deixaram clara a ausência de qualquer possível dano aos produtores e ao mercado chinês.

A entidade considera que a determinação da medida é um retrocesso nas boas relações comerciais construídas por brasileiros e chineses ao longo desta década, bem como na parceria visando à complementariedade na garantia da segurança alimentar da China.

“Apesar de uma potencial retração no desempenho dos embarques em toneladas, o fluxo comercial deverá ser mantido mesmo com a imposição da medida, frente à necessidade e alta demanda do mercado chinês. Em 2017, o país asiático foi destino de 391,4 mil toneladas de carne de frango do Brasil, equivalente a 9,2% de tudo o que o país embarcou no período”, assinala a nota da ABPA.

A investigação, acrescenta a entidade, foi iniciada em agosto de 2017, por solicitação de produtores locais.  O processo conduzido pelo governo chinês contemplou, inclusive, empresas que não exportam para o país asiático.

União Europeia

No mês passado, a União Europeia impôs restrições à importação de frangos provenientes de 20 frigoríficos brasileiros, alegando razões sanitárias.

Porém, a permissão de compra do produto mediante pagamento de uma “taxa de liberação” criaram a suspeitas de possível decisão comercial e protecionista por parte dos europeus. Em razão dessa determinação, o Brasil perdeu para a Tailândia o posto de maior exportador do produto para a União Europeia.

 

 

 

AGROEMDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: agroemdia@gmail.com - (61) 992446832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: