Mercado da agricultura de precisão cresce no Centro-Oeste

Agricultura de Precisão - Crédito Falker Divulgação
Foto: Falker/Divulgação

O mercado da agricultura de precisão cresce a cada ano na Região Centro-Oeste. Muitos produtores de grãos, como soja e milho, utilizam as novas tecnologias para garantir maior produtividade às lavouras. As técnicas usadas se baseiam no conhecimento das variações existentes dentro das áreas, a fim de obter o melhor resultado em cada parte da propriedade. Os equipamentos permitem ao prestador de serviço ter informações de forma precisa sobre o solo para indicar, por exemplo, qual a quantidade de fertilizante para as próximas culturas.

Segundo Fernando Rodrigues Alves Martins, da Agroexata, empresa que presta serviços de agricultura de precisão e está no mercado desde 2000, sendo pioneira no Centro-Oeste, a demanda é grande. “No começo, precisávamos convencer as fazendas sobre a importância de trabalhar com agricultura de precisão. Hoje, há procura por quem faça esse serviço. Teve um boom de empresas entrando no mercado e cada mês ficamos sabendo de algum novo player que está atuando com serviço de agricultura de precisão. Portanto, é um mercado ainda em expansão.”

Martins destaca a importância da agricultura de precisão para enfrentar as questões climáticas, contribuindo para os cuidados com a fertilidade do solo e melhorando o resultado. “A agricultura de precisão é uma ferramenta importante para cuidar bem do solo e driblar as adversidades climáticas, atingindo boas produtividades. Você pode ter um stress climático, mas, cuidando bem da base, a planta consegue conviver com esse stress de forma mais pacífica.”

Com forte atuação no sul do Mato Grosso do Sul, a Agroexata utiliza equipamentos da Falker, empresa que desenvolve uma linha de produção voltada à agricultura de precisão. O mesmo ocorre com a Geosafra, que também é prestadora de serviços neste setor no estado.

Marciano Honorio Lourenço Santos, representante da empresa, ressalta as ferramentas da Falker com as quais trabalha, como o SoloDrill, amostrador de solo hidráulico, o SoloStar, que é um sistema automatizado para medição de compactação em grandes áreas, e o FieldBox, um GPS de campo para mapeamento de áreas.

Conforme Santos, o seu trabalho consiste em fazer a amostragem de solo e medição de compactação nas propriedades rurais do estado. Ressalta que as novas técnicas para fazer um diagnóstico do solo têm apresentado uma boa aceitação, principalmente entre os produtores que detêm maior conhecimento na área da tecnologia. “Muitas vezes, o desconhecido causa um certo temor, mas nos últimos tempos, mesmo o produtor mais tradicional, acaba aderindo à agricultura de precisão ao conhecer os resultados positivos. O mercado para este setor está em expansão em todo o país.”,

Marcio Albuquerque, diretor da Falker, destaca a importância em trabalhar com números e registros para que o produtor possa tomar as suas decisões com base em dados concretos e não apenas em impressões. “O planejamento para a implantação das culturas no campo é muito importante e esta prática agrícola permite a quem quer utilizá-la obter maior conhecimento da área a ser semeada, ao mesmo tempo em que oferece uma melhor gestão da propriedade, contribuindo para um maior controle dos custos e aumento da produtividade da lavoura”, explica.

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: