Renegociação de crédito rural: prazo para inscrição em Dívida Ativa da União vai até 31 deste mês

ContasDivulgação dau
Foto: Divulgação

Termina dia 31 deste mês o prazo final para a inscrição em Dívida Ativa da União (DAU) das dívidas originárias de operações de crédito rural vencidas até 31 de dezembro de 2017. Os produtores rurais que estão inadimplentes em alguma operação de crédito rural, cujo vencimento ocorreu até o final do ano passado, poderão aderir ao programa de liquidação com concessão de descontos, previstos na Lei 13.340/2016. A condição para isso é que a dívida esteja inscrita em DAU junto à Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), informa a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP).

As instituições financeiras têm até 31 de julho para encaminhar as dívidas inadimplentes para a PGFN. Assim, os produtores precisam fazer o acompanhamento do processo em seus agentes financeiros para verificar que a dívida realmente seja encaminhada à PGFN no prazo para não perderem o desconto. Após a inscrição na DAU, o produtor terá até 27 de dezembro de 2018 para aderir ao programa e liquidar sua dívida.

Veja as orientações para renegociar crédito rural na DAU:

1) Quais tipos de operação de crédito podem obter estes descontos?

Podem se beneficiar da medida, dívidas de crédito rural, tais como dívidas antigas de Pesa e Securitização, que foram enviadas a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) e inscritas em Dívida Ativa da União (DAU) até a data de 31 de julho de 2018, relativas a inadimplência ocorrida até 31 de dezembro de 2017. Também são contempladas operações de Funcafé Dação em Pagamento inscritas em DAU. Portanto, a medida cabe para as operações que hoje estão em DAU, em poder da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

2) Como faço para saber se tenho operação em DAU e quando foi inscrita?

O produtor deve ligar para o número 0800 889 7013 da PGFN. Quem atende é a central de atendimento do Banco do Brasil a serviço da PGFN. O produtor pode consultar, comparecendo à unidade de atendimento da Receita Federal, ou por meio do site da PGFN, no e-CAC (Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte), onde fará um cadastro para consultar suas operações.

Pelo site: http://www.pgfn.fazenda.gov.br/.

Se o produtor tiver operações, elas aparecerão após efetuar o cadastro no e-CAC e, então, é possível consultar datas de inscrição, saldos e descontos.

3) Como produtores que não efetuaram renegociações passadas podem aderir à liquidação?

O produtor que não participou das negociações anteriores e tiverem operações inscritas até 31 de julho de 2018 deve acessar o e-CAC (Centro Virtual de Atendimento ao Contribuinte) no site da PGFN e consultar os saldos e descontos. Depois disso ele pode aderir à liquidação por meio do site e emitir a DARF para pagamento até o último dia do mês em que aderiu à liquidação.

 4) Quais são os descontos para liquidação definidos pela Lei nº 13.340/16?

A tabela abaixo indica os descontos a serem concedidos sobre os valores consolidados da dívida inscrita na DAU:

tabela dau

Por exemplo, o produtor tem uma operação no valor de R$ 150 mil. Por meio do e-CAC será calculado o desconto percentual de 80% sobre os juros e principal, e depois será descontado o valor fixo de R$ 7,5 mil.

5) Já tenho operações em DAU que foram renegociadas conforme a Lei nº 11.775/2008. Elas também podem se beneficiar dos novos descontos? como proceder?

Sim. Operações já renegociadas com base na Lei nº 11.775/2008 podem obter os descontos da liquidação sobre o saldo atual. Para isto o produtor tem que desistir do parcelamento anterior e aderir à liquidação atual.

6) Como desistir do parcelamento da Lei nº 11.775 para aderir à liquidação pela Lei 13.340/2016?

O produtor deve ligar para o 0800 889 7013 da PGFN, quem atende é a central de atendimento do Banco do Brasil a serviço da PGFN. Neste número ele pode perguntar o saldo devedor e manifestar o interesse de desistir do parcelamento. Este é o primeiro passo. Passados alguns dias após a desistência, a operação (ou as operações) estará disponível pelo sistema e-CAC, para calcular os descontos e emitir a DARF para o pagamento. Também pode ser executado todo o processo de desistência do parcelamento e adesão ao pagamento com descontos pelo site da PGFN no e-CAC.

7) Produtores que hoje têm parcelamento com a PGFN, tal como parcelamento simplificado, com pagamentos mensais, podem aderir a liquidação e obter os descontos?

Sim. Desde que desista do parcelamento atual.

8) No caso do item 7, como o produtor que hoje tem um parcelamento simplificado, pode realizar a desistência para aderir a liquidação?

Parcelamento especial, convencional, simplificado administrado pela PGFN: a Portaria nº 967 da PGFN estabelece que o produtor deve apresentar perante uma unidade de atendimento requerimento de Revisão de Débito Inscrito, solicitando, de forma irretratável e irrevogável, a desistência e exclusão da inscrição. Após este procedimento, a adesão à liquidação poderá ser realizada por meio do e-CAC (pelo site: http://www.pgfn.fazenda.gov.br/).

9) A nova lei vale apenas para liquidação?

Sim, apenas a liquidação foi contemplada na nova lei, inclusive com descontos maiores, em relação às leis anteriores.

10) Operações de crédito rural que estão com os agentes financeiros podem se beneficiar dessa liquidação? alguma outra operação não está enquadrada?

Não.  A medida vale apenas para as operações inscritas em DAU junto a PGFN.

11) Entro no e-CAC com meu cadastro, mas não há a opção de calcular os descontos? O que devo fazer?

Isso acontece quando o produtor já tem um parcelamento anterior (Lei 11.775/2008), que ainda está vigente. Assim, o produtor deve primeiro desistir deste parcelamento pelo site ou pelo o 0800 889 7013 da PGFN, para depois ter acesso à liquidação.

Para conhecer o saldo devedor ele pode perguntar por meio deste telefone. E, de acordo com a tabela de desconto, verificar como ficará sua operação.

12) Posso apenas desistir do parcelamento e deixar para decidir a liquidação em outra data, já que a data limite para liquidação é dezembro de 2018?

O produtor deve manifestar a desistência assim que tiver o interesse para liquidar, para operação não ficar em aberto, gerando juros pela taxa Selic. Além disso, a Portaria nº 967 da PGFN determina que o pagamento deve ser efetuado até o último dia do mês em que foi solicitada a adesão.

13) Qual é o site do e-CAC?

Disponível na página da PGFN: https://www2.pgfn.fazenda.gov.br/ecac/contribuinte/primeiroAcesso/primeiroAcesso.jsf

14) Após a liquidação, como obter declaração de quitação?

O produtor pode acessar o e-CAC e retirar a Certidão de Débitos Relativos a Créditos Tributários Federais e à Dívida Ativa da União.

15) Como proceder para liberar as garantias que estavam atreladas a estas dívidas?

Após a quitação, o produtor deve acompanhar, através do e-CAC, a anotação de baixa por pagamento que será efetuada na inscrição da dívida. Em seguida deve dirigir-se ao escritório da PGFN de sua região e protocolar um requerimento para liberação da garantia. Após análise e confirmação da quitação da dívida a PGFN enviará ofício ao Cartório de Registro de Imóveis autorizando a anotação de baixa da garantia na matrícula do imóvel.

A FAEP alerta que o produtor deve ao menos consultar a possibilidade de liquidação considerando que, em alguns casos, o valor a liquidar com descontos equivale a uma parcela do total que foi renegociado pela Lei 11.775/2008.

Da redação, com FAEP

 

AGROEMDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: agroemdia@gmail.com - (61) 992446832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: