Eleições 2018: Índios usam WhatsApp para ter o maior número de candidatos da história

adriel kokama
Adriel Kokama, pré-candidato a deputado federal pelo AM – Foto: Arquivo pessoal

Por João Carlos Rodrigues

Adriel Kokama, líder indígena da comunidade do Parque dos Índios, em Manaus (AM), vive os últimos dias de uma expectativa alimentada há meses: a de ter seu nome oficializado na lista de candidatos a deputado federal pelo Avante nas eleições deste ano. Ele deve ter a confirmação até as 19h de quarta-feira (15), quando termina o prazo para os partidos registrarem a nominata de candidatos.  Adriel Kokama faz parte de grupo de pré-candidatos articulado para Frente Parlamentar Indígena Nacional, movimento suprapartidário criado no fim de 2017 por meio de WhatsApp, Facebook e Instagram para incentivar a participação dos índios nas eleições de 2018.

Pelo menos 75 índios e índias de todas as regiões do país foram indicados para disputar  vagas nas Assembleias Legislativas, na Câmara dos Deputados e no Senado. Entre eles, também há dois que concorrem a governos estaduais (veja lista abaixo). Adriel teve o nome escolhido na convenção regional do Avante.

A articulação da Frente Parlamentar Indígena Nacional teve como principal objetivo apresentar, nas eleições deste ano, o mais expressivo número de candidatos índios da história do país aos cargos de deputado estadual, deputado federal e senador.

A estratégia dos índios para tentar ter uma bancada no Legislativo foi a de ter pré-candidatos em vários partidos.  A maior parte deles não é filiada às grandes siglas – PMDB, PT e PSDB –, o que aumentou a possibilidade de indicação dos seus nomes nas nominatas das siglas de suas filiações.

Representação legislativa

O movimento busca representação no Legislativo para que os indígenas possam ser porta-vozes de suas reivindicações, sem a intermediação dos brancos. Segundo algumas lideranças, chegou o momento de os índios lutarem por seus direitos também no Parlamento federal e estadual.

O primeiro e último representante dos índios na Câmara dos Deputados foi o cacique Mário Juruna, eleito pelo PDT do Rio de Janeiro em 1982. Juruna exerceu o mandato de 1983 a 1986, mas não foi reeleito. O cacique, que morreu em julho de 2002, ficou famoso por usar um gravador de fita cassete para registrar as conversas com os brancos.

Os pré-candidatos estão espalhados de Norte a Sul do país. Na Região Norte, há postulantes a cargos eletivos para Assembleias Legislativas e Câmara Federal no TO, AP, PA, AM, AC, RR e RO; no Nordeste, em AL, BA, CE, MA, PE e PI; no Sudeste, SP, RJ e MG; no Sul, PR, SC e RS; no Centro-Oeste, MS, GO, MT e DF. Não há pré-candidatos apenas nos estados da Paraíba, Sergipe, Rio Grande do Norte e Espírito Santo, segundo a Frente Parlamentar Indígena Nacional.

adriel komama e indios 12 8
Foto: Aquivo pessoal Adriel Kokama

Amazonas

Com a maior população de índios do país – pouco mais de 183 mil, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE) –, o Amazonas tem nove pré-candidatos: três para deputado federal e seis para deputado estadual. Adriel Kokama (Avante), Perpétua Kokama (PSOL) e Marcos Apurinã (DC) são os nomes indicados para concorrer à Câmara Federal pelo estado.

Para Adriel Kokama, só há um jeito de os índios terem resultados efetivos na luta pelo cumprimento dos direitos assegurados pela Constituição Federal:  exercer mandato eletivo no Legislativo federal e dos estados. “Temos que ter políticos índios”, disse Adriel Kokama, bacharel em Direito, pedagogo, teólogo, juiz de mediação e membro da Igreja Pentecostal Unida do Brasil.

“Não precisamos criar projetos, mas de políticos índios para garantir nossos direitos em todas áreas, como saúde e educação”, afirmou Adriel Kokama, 39 anos, por telefone, ao AGROemDIA. Na sua avaliação, o trabalho da União e das organizações não-governamentais (ONGs) também não atende às necessidades dos indígenas. “Os recursos da ONU, por exemplo, não chegam aos índios. Dizem que devemos cuidar da biodiversidade, mas não há verba para preservar a flora e a fauna.”

Adriel Kokama defende ainda profundas mudanças na Fundação Nacional do Índio (Funai). De acordo com ele, há muito tempo a instituição deixou de preservar, proteger e promover os direitos dos índios. “A Funai virou um cabide de empregos”, critica, acrescentando que hoje os indígenas precisam de apoio não só para preservação ambiental como também para o desenvolvimento de atividades como a piscicultura e a agricultura.

Esse contexto marcado pelo descaso, pontua Adriel Kokama, levou as lideranças dos povos indígenas a se organizarem via redes sociais e aplicativos para tentar se habilitar a conquistar cadeiras nas Assembleias Legislativas, na Câmara do Deputados e no Senado. “A tecnologia facilitou nossa comunicação. A hora é de retomar o caminho aberto por Juruna”, assinalou Adriel Kokama.

Nas eleições de 2018, os indígenas também estão representados pela índia Sonia Guajajara, candidata à vice-presidente na chapa do PSOL, encabeçada por Guilherme Boulos. E no estado do Pará a candidata a vice-governadora pelo PSOL é a historiadora Tati Picanço, do povo Kumaruara.

Frente Parlamentar Indígena Nacional

Regiao Norte

Tocantins

1 – Markinho Karajá

– Deputado Estadual (PCdoB)

2 – Vilmar Xerente

– Deputado Estadual (PTC)

Amapá

3 – Eclemilda Galiby Marworno – Deputada Estadual ( PDT)

4 – Elton Karipuna

– Deputado Estadual (DEM)

Pará

5 – Ubirajara Sompré

– Deputado Federal (PMDB)

6 – Gedeão Arapiuns

-Deputado Estadual ( PROS)

7 Conserlei Sompré

– Deputada Estadual ( PP)

8 – Paratê Tembé

– Deputado Estadual (Podemos)

9 – Maciel Pataxó

– Deputado Estadual ( Podemos)

10 – Narha Munduruku

– Deputada Federal (Podemos)

Amazonas

11 – Gersem Baniwa

– Deputado Estadual ( REDE)

12 – Marcos Apurinã

– Deputado Federal ( DC)

13 – Pedro Henrique Baré – Deputado Estadual (PSL)

14 – Perpétua Kokama

– Deputada Federal (PSOL)

15 – Angélisson Tenharin

– Deputado Estadual (PSOL)

16 – Turi Sateré

– Deputado Estadual (PSOL)

17 – Sinésio Tikuna

– Deputado Estadual ( PP)

18 – Izac Tikuna

– Deputado Estadual (PSOL)

19 – Edilene Kokama

– Deputada Federal (PDT)

20 – Adriel Kokama

– Deputado Federal (Avante)

21 – Iza Maia

– Deputada Estadual (Solidariedade)

Acre

21 – Francisco Piyanko

– Deputado Federal ( PSOL)

22 – Sabá Manchinery

– Deputado Federal ( PHS)

23 – Manoel Kaxinawa

– Deputado Estadual ( PP)

24 – Roque Yawanawa

– Deputado Estadual (PHS)

Roraima

25 – Telma Taurepang

– Senadora  ( PCB)

26 – Joenia Wapichana

– Deputada Federal (REDE)

27 – Mário Nicácio

– Deputado Estadual ( PTB)

28 – Dr Raposo Macuxi

– Deputado Estadual ( PR)

29 – Márcio Feitosa Wapixana

– Deputado Estadual (PCB)

30 – Ivaldo André

– Deputado Estadual (REDE)

31 – Iranir Macuxi

– Deputada Estadual (Rede )

32 – Ozelio Macuxi

– Deputado Estadual (PV)

33 – Emerson Duarte

-Deputado Federal ( PRP )

34 – Ohana Brasil

– Deputada Estadual ( PR )

35 – Francinete Raposo (PMN)

36 – Marly ( PL)

37 – Telmario Mota

Governador (PTB)

Rondônia

38 – Almir Suruí

– Deputado Federal (REDE)

Região Nordeste

Alagoas

39 – Cacique Nina

– Deputada Estadual ( PCdoB)

Bahia

40 – Cacique Aruã Pataxó

– Deputado Estadual ( PCdoB)

Ceará

41 – Antônio Anacé

– Deputado Estadual ( PSOL)

Maranhão

42 – Sônia Guajajara

– Vice Presidente (PSOL)

43 – Lourenço Krikati

– Deputado Estadual  (PODEMOS)

44 – Elói Filho Wirá Murutinga

– Deputado Federal  (PSO)

 Pernambuco

45 – Eudes Pankararu

– Deputado Estadual (PV)

Piauí

46 – Welington Dias

-Governador (PT)

Sudeste

São Paulo

47 – Lúcio Xavante

– Deputado Estadual ( PSOL)

48 – Chirley Pankará

– Mandato Coletivo

– Deputada  Estadual ( PSOL)

49 – Cristine Takua

– Deputada Federal

– Mandato Coletivo (PSOL)

50 – Jupira Terena

– Deputada Federal ( PSOL)

Rio de Janeiro

51 – Anápuáka Muniz Tupinambá – Deputado  Federal (PPS)

52 – Serginho Guarani -Deputado Federal (PHS)

Minas Gerais

53 – Avelin Buniacá Kambiwá

– Deputada Estadual ( PSOL)

54 – José Nunes Xakriabá

– Deputado Federal  (PT)

Sul

Paraná

55 – Paulina Martinez

– Deputada Federal (PSOL )

56 – Ivan Kaingang

– Deputado Estadual ( PHS)

Rio Grande do Sul

57 – Luíz Salvador (Saci)

– Deputado Estadual (PSOL)

Santa Catarina

58 – Eunice Kerexu

– Deputada Federal (PSOL)

59 – Marcos Dikupé

– Deputado Estadual (PSOL)

60 – Hyral Moreira

– Deputado Estadual (REDE)

61 – Leopardo Huni Kuin

– Deputado Federal (REDE)

Centro Oeste

Mato Grosso do Sul

62 – Anísio Guató

– Deputado Estadual ( PSOL)

63 – Gilberto Fernandes

– Deputado Estadual ( PT)

64 – Éder Terena

– Deputado Estadual ( MDB)

Goiás

65 – Vaguinho Vieira

– Deputado Estadual  (Patriota 51)

Mato Grosso

66- Matudjo Kayapó

– Deputado Estadual (PSOL)

67 – Rondon Terena

– Deputado Federal ( PSOL)

Brasília

68 – Araju Sepeti Guarani – Deputado Federal  (PPS-23)

69 – Júnior Xukuru

– Deputado Federal ( PSOL )

70 – Kamuu Dan Wapichana

– Deputado Federal ( REDE)

71 – Airy Gavião

– Mandato Coletivo Distrital (PSOL)

72- Euclides Papiros

– Deputado Distrital (PPS 23)

73 – Francisca Corte – Deputada Distrital (PDT)

74 – Divina Silva – Deputada Distrital  (MDB)

75 –  Farias do Bode – Deputado Distrital (PMB-35).

Obs: No Pará, a candidata a vice-governadora pelo PSOL é a historiadora Tati Picanço, do povo Kumaruara.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: