Brasil promoverá frutas e lácteos no mercado chinês

melao melancia
CNA e Apex-Brasil promovem missão ao país asiático para ampliar mercado para as frutas – EBC

Em busca da ampliação das exportações para o mercado asiático, o agronegócio brasileiro estará na China, de 4 a 10 de novembro, para promover as frutas e os lácteos made in Brazil. A ação será coordenada pela 0Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Apex-Brasil. A missão será formada por entidades privadas, empresários e representantes do governo.

A missão visa prospectar oportunidades de negócios, conhecer o dinamismo e a realidade do mercado chinês e fortalecer parcerias com atores do setor de alimentos daquele país. A expectativa é aumentar o volume das exportações do agro, além de diversificar e agregar valor aos produtos exportados.

“O agro brasileiro cresceu muito e vai continuar crescendo. Ultrapassamos a capacidade de consumo dos brasileiros e precisamos abrir novos mercados. A Ásia é um grande consumidor, mas antes precisamos conhecer as nuances e as oportunidades que existem por lá”, diz o vice-presidente e coordenador de Relações Internacionais da CNA, Gedeão Pereira.

O roteiro será focado na região de Xangai. A agenda prevê reuniões com representantes dos setores público e privado, importadores, distribuidores, indústrias, consultorias na área de comércio exterior, associações setoriais e agências reguladoras. O grupo também visitará a China International Import Expo (CIIE), onde haverá uma participação de empresários brasileiros coordenada pela Apex-Brasil.

Outro objetivo dos encontros é entender como funciona a regulação da China, especialmente em aspectos sanitários, quais são as exigências do governo e como são as práticas de comércio chinesas.

Além de Pereira, a CNA será representada na missão pela superintendente de Relações Internacionais, Lígia Dutra, e pelo assessor de Relações Internacionais, Pedro Henriques Pereira.

China

Em 2017, a China foi o principal destino das exportações do agronegócio brasileiro: comprou US$ 26,58 bilhões. Os principais produtos exportados foram complexo soja (US$ 20,56 bilhões), produtos florestais (US$ 2,84 bilhões), carnes (US$ 1,79 bilhões), couros e derivados (US$ 524 milhões) e fumo e derivados (US$ 276 milhões).

“A China é um dos maiores mercados consumidores do mundo e o principal parceiro comercial do agro brasileiro. Existe um interesse muito grande do mercado chinês por produtos novos porque a renda na China tem aumentado e nós podemos preencher esse espaço, especialmente com os lácteos e as frutas tropicais brasileiras, como o açaí”, afirmou Lígia Dutra.

Da redação, com CNA

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta