Agro exporta US$ 93,16 bi no acumulado do ano; saldo é de US$ 80,26 bi

agro appa 16 12
Produtos agropecuários brasileiros têm a China como principal destino – APPA/Divulgação

De janeiro a novembro deste ano, o agronegócio brasileiro teve saldo comercial de US$ 80,26 bilhões, contra US$ 76,10 bi de igual período de 2017. O superávit é resultado de exportações de US$ 93,16 bilhões, ante importações de US$ 12,91 bilhões, nesses 11 meses. Enquanto os embarques cresceram 4,6%% no acumulado de 2018, as compras de outros países caíram 0,5%.

Saiba mais: Exportações brasileiras do agro crescem 18,3% em novembro

Os números constam da balança comercial do agro, divulgada mensalmente pela Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio (SRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).  De acordo com os dados da SRI, o agro teve participação de 42,4% no total das exportações brasileiras, de janeiro a novembro de 2018.

Os produtos de origem vegetal foram os que mais contribuíram para o crescimento das vendas externas agropecuários no acumulado do ano, com aumento de US$ 5,11 bilhões de expansão, segundo a SRI.

Em valor, os cinco principais setores exportadores do agronegócio foram: complexo soja (41,6% de participação); carnes (14,4%); produtos florestais (13,7%); complexo sucroalcooleiro (7,4%) e café (4,7%).

Juntos, esses setores foram responsáveis por 81,7% do total das exportações do agronegócio entre janeiro e novembro de 2018, ou seja, 1,5 ponto percentual a mais do que a concentração dos mesmos setores no ano anterior (80,2%).

Setores

As exportações do complexo soja, principal setor, somaram US$ 38,71 bilhões de janeiro a novembro, com expansão de 26,8% em comparação mesmo período de 2017, ou, em valores absolutos, US$ 8,18 bilhões. Tal incremento foi causado pelo crescimento da quantidade comercializada (+19,4%) e pelo aumento do preço médio dos produtos do setor (+6,2%).

As carnes ocuparam a segunda posição no ranking de setores por valor. As vendas externas foram de US$ 13,40 bilhões, o que representou queda de 5,9% em relação ao mesmo período do ano anterior. A retração foi causada particularmente pelas perdas na carne de frango, que passaram de US$ 6,62 bilhões no acumulado do ano em 2017 para US$ 5,84 bilhões no último período (-11,7%).

Em seguida se destacaram os produtos florestais, com vendas de US$ 12,73 bilhões (+22,2%). O principal item negociado foi a celulose, cujas exportações atingiram números recordes para o período acumulado (janeiro a novembro), tanto em valor (US$ 7,51 bilhões) quanto em quantidade (13,78 milhões de toneladas).

O complexo sucroalcooleiro ficou na quarta colocação entre os principais setores do agronegócio brasileiro em valor exportado entre janeiro e novembro de 2018, com a cifra de US$ 6,93 bilhões (-39,7%). O açúcar foi o principal item negociado pelo setor, com 87,7% das vendas, alcançando o montante de US$ 6,08 bilhões (-43,3%).

Já o setor de café alcançou o valor de US$ 4,35 bilhões e 1,66 milhão de toneladas no período. O café verde, principal produto do setor, respondeu por 87,5% do valor exportado, somando US$ 3,81 bilhões.

Em relação às importações, os destaques foram trigo (US$ 1,36 bilhão); pescados (US$ 1,21 bilhão) e papel (US$ 841,18 milhões).

Ásia e China

Em relação às exportações do agronegócio por blocos econômicos e regiões geográficas, no período de janeiro a novembro de 2018, a Ásia permaneceu como o principal destino dos produtos brasileiros, com a soma de US$ 47,62 bilhões. Com a expansão de 15,0% nas suas aquisições, a participação asiática nas vendas externas de produtos agropecuários brasileiros subiu de 46,5% para 51,1%.

O segundo principal destino das exportações brasileiras, a União Europeia, diminuiu a sua participação de 17,5% para 17,4%.

Entre os países, as vendas para a China (principal mercado com grande destaque) somaram US$ 33,16 bilhões, superando em 32,2% o resultado do período anterior e elevando a participação do país, de 28,2% para 35,6%.

As exportações para os Estados Unidos atingiram US$ 6,13 bilhões, com decréscimo de 0,3% sobre igual período de 2017.

Além da China, os países que mais contribuíram para o aumento das exportações brasileiras do agronegócio no período foram: Turquia (+US$ 610,63 milhões); Chile (+US$ 231,30 milhões) e Argentina (+US$ 209,66 milhões).

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: