RS: Custo de produção da soja é de R$ 3,38 mil/ha e do milho, R$ 4,58 mil

soja milho aprosoja brasil
Aprosoja/Divulgação

O custo total da soja estimado para a safra 2019/2020 no Rio Grande do Sul é de R$ 3.388,37 por hectare, enquanto no milho é de R$ 4.583,80. Se considerado só o desembolso na soja este valor é de R$ 2.300,95 e no milho R$ 3.384,52, segundo levantamento da Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS).

Para cobrir o custo total de produção o agricultor precisará colher 47,72 sacas de 60 quilos na soja e 152,79 sacas de 60 quilos no milho. Já em relação ao custo variável os números para soja e milho ficam em 32,41 e 112,82 sacas, respectivamente. A rentabilidade por hectare, conforme o levantamento da entidade, é de R$ 871,63 ou 12,28 sacas para a soja e R$ 216,20 ou 7,21 sacas no milho.

Segundo o presidente da FecoAgro/RS, Paulo Pires, a expectativa é que não haja algo fora da curva que mude este cenário ao produtor. “Teremos um certo equilíbrio no custo quanto na precificação do produto que o produtor colher. Agora, se houver algo inesperado, como um agravamento da situação de perdas na safra americana, pode ajudar o produtor com um preço maior e a rentabilidade aumenta.”

“Se tivermos algo em relação ao dólar, mesmo que haja uma desvalorização, que aumente os preços, isso não é repassado diretamente, mas impacta no custo. Temos uma questão de estabilidade, não temos nada que diga que teremos algo muito forte que vá mudar este cenário”, observou.

Rentabilidade

Na avaliação de rentabilidade, o estudo considerou os preços praticados dos principais insumos, máquinas e implementos, além dos demais fatores que compõem os custos de produção e o preço de mercado de grãos, com base na primeira semana de junho de 2019. A estimativa de custos elevados para safra 2019/2020 preocupa o setor. A queda de preços da soja ficou na ordem de 0,54% no primeiro semestre de 2019 e o milho teve redução de 1,36% em valores nominais.

O estudo avalia que o produtor – comparativamente em relação à 2018, bem como a fatores conjunturais como elevação nas taxas de juros para custeio da próxima safra, questão cambial, guerra comercial entre Estados Unidos e China, elevação de preços de insumos e máquinas em média de 10% em decorrência de inovações e tecnologias – está numa relação desfavorável na relação de troca, reduzindo a rentabilidade.

A análise da FecoAgro/RS é de que os preços – tanto dos insumos como das máquinas e equipamentos, atrelado à valorização do dólar frente ao real, mais a insegurança na logística causada pela greve dos transportadores e a indefinição sobre a tabela de frete – vêm deteriorando o poder de compra do produtor frente aos insumos e máquinas.

A FecoAgro/RS enfatiza ainda que o produtor, conhecendo seu custo, pode adotar estratégias de comercialização, como fixar preço para entrega futura, garantindo melhor margem de lucro. A entidade ressalta também que o controle de custos é fundamental para análise de resultado de cada lavoura para assegurar sustentabilidade na produção futura.

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta