Bolsonaro diz que tem pressa em resolver crise do arroz, segundo a Federarroz

Reunião Bolsonaro Arroz - Crédito Marcos Corrêa PR Divulgação (1)
Foto: Marcos Corrêa/ PR

O presidente Jair Bolsonaro convocará a ministra Tereza Cristina (Agricultura) e o ministro Paulo Guedes (Economia) para discutir uma forma de  apoiar a cadeia do arroz para que os produtores possam superar a crise enfrentada nos últimos anos, em consequência dos altos custos de produção, da elevada carga tributárias, das assimetrias com o Mercosul  e de problemas climáticos, como a enchente ocorrida no Rio Grande do Sul – responsável por mais de 80% da produção do cereal – no início deste ano.

A informação é do presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho. Nesta semana, Velho, dirigentes da Farsul e Fetag-RS e parlamentares da bancada gaúcha tiveram audiência com Bolsonaro, no Palácio do Planalto.  No encontro, eles apontaram ao presidente os gargalos que prejudicam o setor do arroz. A ministra Tereza Cristina (Agricultura) também participou da reunião.

“O presidente foi muito claro ao dizer que a situação do arroz é insustentável. Ele falou que tem pressa em tentar achar uma solução”, relatou Velho. Segundo o presidente da Federarroz, Bolsonaro ficou de agendar uma reunião, o mais rápido possível, com os ministros Guedes e Tereza Cristina para busca uma saída para crise do setor.

O presidente foi muito claro ao dizer que a situação do arroz é insustentável” – Alexandre Velho, presidente da Federarroz

“Deixei muito claro que, além de acharmos uma solução para o endividamento, temos que enfrentar a questão estrutural do arroz. Ou seja, buscar renda para a atividade. Por isso, é muito importante que tenhamos um período de carência até começar a pagar as dívidas, para que possamos enfrentar temas como a reforma tributária, que pode vir a ajudar a baixar os custos de produção do arroz.”

Durante a reunião, a ministra da Agricultura falou sobre as conversas que vem mantendo com a Federarroz para construir alternativas à cadeia orizícola. “Saímos de Brasília um pouco mais esperançosos de que realmente se enfrentem os verdadeiros motivos para a falta de renda da lavoura e se ache uma solução para o endividamento”, assinalou o presidente da Federarroz.

Além de Tereza Cristina e de Velho, participaram da audiência o senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), o secretário-executivo do Mapa, Marcos Montes, os deputados Alceu Moreira (MDB-RS), Afonso Hamm e Jerônimo Goergen (ambos do PP-RS), os presidentes da Farsul, Gedeão Pereira, e da Fetag-RS, Carlos Joel da Silva, e os prefeitos Sílvio Rafaeli, de Tapes, e Mário Augusto Gonçalves, de Dom Pedrito.

 

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta