Programa “MT contra a Brucelose” é apresentado para a Abiec

famato abiec 1
Foto: Famato/Divulgação

A Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) apresentaram à Associação Brasileira das Indústrias Exportadores de Carne (Abiec) e ao JBS o programa “Mato Grosso contra a Brucelose”.

Durante o encontro, nessa quinta-feira (25), na sede da Abiec, em São Paulo, também foi discutido o apoio dos frigoríficos em receber os animais reagentes e o pagamento integral da carcaça, tendo em vista que a carne dos animais reagentes (com anticorpos) para brucelose é liberada para consumo, sem risco para a saúde humana.

A Famato foi representada pelo vice-presidente, Francisco Pugliesi de Castro, e pelo analista de pecuária, Marcos de Carvalho. Da Acrimat, participou o diretor-técnico, Francisco Manzi, e representando o JBS/Friboi, o diretor executivo Marcelo Zanatta Estevam. O grupo foi recepcionado pelo presidente da Abiec, Antonio Jorge Camardelli.

“A reunião foi muito produtiva. Houve um entendimento que devemos unir forças para que o propósito da erradicação da brucelose chegue a um bom termo. E sem que nenhum elo da cadeia seja prejudicado com algum ônus. As tratativas continuaram com todos os atores envolvidos até que todos estejam na mesma página”, avaliou o vice-presidente, Francisco Castro.

O projeto tem como base a educação sanitária, com foco na qualidade da vacinação e na adoção de estratégias para manter os rebanhos protegidos contra a brucelose bovina. A iniciativa é do Comitê Consultivo sobre Brucelose de Mato Grosso, instituído em 2017.

O projeto “MT contra a Brucelose” está percorrendo 14 municípios de Mato Grosso, entre os dias 1º de julho a 7 de agosto, com informações para os produtores rurais sobre o tema, incluindo medidas apontadas como o caminho para reduzir a prevalência da brucelose no estado.

As duas principais estratégias do projeto dizem respeito à vacinação de fêmeas adultas, usando uma vacina especial chamada RB51 para aumentar a imunidade do rebanho no combate à doença, e à eliminação da fonte de infecção dentro da propriedade rural.

O trabalho de educação sanitária será mais intenso nas propriedades de pecuária de corte, com ação específica voltada para as que possuem acima de 200 matrizes.

Doença em MT

Um estudo realizado em 2002 demonstrou uma prevalência de brucelose em Mato Grosso de 41,2% de focos e 10,2% de animais. No mesmo ano, o Serviço Veterinário Oficial iniciou as ações preconizadas no Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose com implantação do programa de vacinação e ações complementares para diminuir a prevalência da brucelose bovina no estado.

Em 2014, um segundo estudo analisou novamente a situação da brucelose bovina que revelou uma prevalência de 24% de focos e 5,1% de animais, uma redução significativa em relação ao estudo realizado em 2002. Mas os resultados demonstram valores de prevalências de focos ainda expressivos em todo o estado.

Comitê consultivo

O Comitê Consultivo sobre Brucelose Bovina de Mato Grosso, criado em 2017, é presidido pelo Indea-MT e composto por representantes da Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso (SFA-MT), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Famato, Acrimat, Sindicato das Indústrias de Frigoríficos do Estado de Mato Grosso (Sindifrigo), Associação de Frigoríficos de Mato Grosso (Asfrigo-MT), Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado de Mato Grosso (Sindilat), Sindicato e Organização das Cooperativas Brasileiras no Estado de Mato Grosso (OCB-MT), Associação Brasileira dos Criadores de Zebu de Mato Grosso (ABCZ-MT), Fundo Emergencial de Saúde Animal do Estado de Mato Grosso (Fesa-MT), Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Mato Grosso (CRMV-MT).

Da redação, com informações da Famato

 

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta