Brasil tem grande potencial para aumentar produção de abacaxi, diz Conab

abacaxi 1 Foto Davi Junghans embrapa
Foto: Davi Junghans/Embrapa

O cultivo do abacaxi pode gerar riqueza e distribuição de renda no setor produtivo agrícola brasileiro e ainda atender às necessidades do consumidor final. É o que mostra o novo compêndio de estudos divulgado, nesta semana, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), sob o título A Participação do Abacaxi no Desenvolvimento Econômico nas Regiões Produtoras.

A partir da análise do cenário produtivo da fruta no país, o documento revela que o abacaxi, natural ou processado, tem potencial para ocupar espaço no mercado internacional. Além de favorecer o desenvolvimento local, gerar riquezas e distribuição de renda, a cultura ainda motiva a criação intensiva de empregos, a difusão tecnológica e a modernização de infraestruturas.

Segundo o estudo, o abacaxi é cultivado em praticamente todo o território nacional. No período analisado no compêndio, de 2012 a 2018, o Brasil produziu cerca de 11,9 bilhões de frutos, sendo Nordeste, Norte e Sudeste as principais regiões produtoras.

No Norte, a produção concentra-se no estado do Pará, que foi responsável pela colheita de 68,2% do volume nacional no período. O crescimento de cerca de 35% ocorreu principalmente em razão do aumento da área de plantio (77%).

Na sequência, Amazonas e Tocantins representam 14,76% e 10,33%, respectivamente, do total produzido na região. Enquanto no AM houve redução de área (36,6%) e aumento de rendimento (56,13%), no TO houve o inverso: aumento de área de 126,84% e diminuição de 10,95% na produtividade.

No caso do Nordeste, a Paraíba representa 51,49% do total produzido, também no período entre 2012 e 2018. Houve crescimento de 13,66% em razão do aumento de 11% na área de plantio. Já Bahia e Rio Grande do Norte colheram 15,73% e 14,04% da produção regional de abacaxi. Nesses estados, ocorreu redução de área. Na Bahia, o rendimento foi reduzido em cerca de 68%. A estiagem na região nordestina, nesse período, refletiu negativamente (3,36%) no cultivo regional.

Além do potencial produtivo, o estudo traz também informações relativas ao custo de produção e à comercialização da fruta no mercado interno e para exportação.

Clique aqui para fazer download do compêndio.

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta