Boa Viagem, no sertão cearense, aposta no cultivo de algodão agroecológico

Prefeita Aline Vieira em visita à propriedade de algodão – Imagem: Anna Jéssica/Reprodução Facebook

João Carlos Rodrigues//AGROemDIA

O Ceará se mobiliza desde o fim dos anos 1990 para voltar a ter protagonismo na cultura de algodão, dizimada pela praga do bicudo em meados da década de 1980. Nesse esforço, um projeto vem se destacando: o do cultivo do algodão agroecológico, sem uso de agroquímicos e com proteção do solo. Um dos polos de plantio da variedade é o município de Boa Viagem, no sertão de Canindé, onde a colheita da atual safra já começou.

“Boa Viagem já foi um dos grandes polos de cotonicultura do estado. Em 2017, surgiu a possiblidade de retomarmos a cultura com o algodão agroecológico”, diz a prefeita Aline Vieira. A oportunidade a que ela se refere é o projeto da Associação de Desenvolvimento Educacional e Cultural de Tauá (Adec), município também situado no sertão cearense e que já vinha apostando no plantio do algodão agroecológico.

A prefeita viu no projeto – assim como o secretário de Agricultura, o técnico agrícola Ronilson Sergio Evangelista Abreu – uma alternativa para envolver os pequenos agricultores de Boa Viagem, município de cerca de 54 mil habitantes localizado a 291 quilômetros de Fortaleza. “O algodão agroecológico plantado aqui tem um preço diferenciado por se destinar à exportação.”

Isso, segundo Aline, começou a atrair os agricultores familiares locais para o cultivo de algodão agroecológico. “Eles ficam sabendo com antecedência o preço que receberão por arroba.” Em 1997, o projeto envolveu 28 produtores, 42 em 2018, 59 em 2019 e 98 em 2020.  Hoje, a área ocupada pela cotonicultura ecológica no município é de 151 hectares e deve crescer mais nos próximos anos.

Foto: Anna Jéssica/Divulgação

Importância social

Além do aspecto ambiental, a prefeita ressalta a importância social do projeto. “Estamos trabalhando com pessoas da agricultura familiar, que têm neste nicho de mercado, com a venda conjunta da produção, uma possibilidade de acréscimo da renda, paralelamente à manutenção de outras atividades agropecuárias.

Os produtores, pontua Aline, ganham do município assistência técnica e horas de trator (a prefeitura cede máquinas por determinado período para que possam ser usadas nas atividades das propriedades). “As sementes e a sacaria são doadas pela Adec”, enfatiza a prefeita, que também é engenheira agrônoma.

Dias atrás, Aline, o secretário de Agricultura e técnicos da prefeitura visitaram uma lavoura já em fase de colheita do algodão agroecológico, na comunidade de Cajazeira. A safra deste ano é estimada entre 20 e 30 toneladas, conforme Ronilson. Um salto expressivo na comparação com 2018, quando colheu 5 toneladas.

Prefeita Aline Vieira, de Boa Viagem – Foto: Anna Jéssica/Divulgação

Área livre de químicos

“No estado do Ceará só há quatro municípios que plantam algodão agroecológico, sem uso utilização de defensivos químicos e orientados pela Adec: Boa Viagem, Independência, Parambu e Tauá”, sublinha o secretário. A proposta é criar uma espécie área de algodão livre de agroquímicos, a fim de atrair compradores que não querem mais a fibra convencional ou transgênica.

“Recentemente, uma fábrica de redes do estado que exporta para Alemanha teve os embarques reduzidos. Um dos diretores foi à Europa e descobriu que um nicho de mercado desse cliente só está adquirindo redes fabricadas com algodão sem uso de químicos. Aí, ele nos procurou para que vendêssemos parte da produção para que pudesse atender o importador alemão”, conta Ronilson.

O algodão agroecológico é um nicho de mercado que valoriza o trabalho dos agricultores por agregar muito valor, observa o secretário de Agricultura. “Além disso, por uma questão de concepção, aderimos ao plantio sem utilização de veneno e de sementes transgênicas.”  Ronilson defende que esses quatro municípios sejam isolados dos demais, com a criação uma zona exclusiva de algodão agroecológico no Ceará.

Ronilson Abreu, secretário de Agricultura, e prefeita Aline Vieira – Foto: Anna Jéssica/Divulgação

Clique aqui para assistir ao vídeo do início da colheita na comunidade de Juazeiro.

Foto: Anna Jéssica/Divulgação

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta