Morre Pinheiro Machado, ícone da agronomia brasileira e ex-presidente da Embrapa

Foto: Rede de Agricultura Regenerativa Ibérica

A agronomia brasileira está de luto. Morreu na última quinta-feira 2, em Porto Alegre, aos 91 anos, o engenheiro agrônomo Luiz Carlos Pinheiro Machado, que presidiu a Embrapa de 9 de maio de 1985 a 21 de março 1986. Neste domingo 5, às 11h, a família de Pinheiro Machado realiza uma cerimônia ecumênica de despedida virtual.

Em nota, a diretoria-executiva da Embrapa lamentou a morte do ex-presidente. Em entrevista para um livro sobre a história da empresa, ele falou sua gestão: “A minha intenção foi, exatamente, oferecer a experiência que eu já tinha, que na época não era pequena, para poder abrir novos caminhos”.

Pinheiro Machado nasceu em Porto Alegre e sua vida acadêmica foi, em grande parte, dedicada à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), onde cursou a graduação e obteve doutorado. Ele também foi professor-assistente, livre docente e o professor catedrático mais jovem da instituição. Dedicou-se ainda ao magistério na Universidade Católica Argentina, na Universidade de Buenos Aires e na Universidade Federal de Santa Catarina, onde era professor titular aposentado.

Fez parte da fundação da Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS) e dela foi presidente. Era consultor internacional em agropecuária sustentável. É autor de livros como Manual do Leiteiro (1968), Os Suínos (1967, em português e espanhol) e Pastoreio Racional Voisin (2010, em português e espanhol). Foi fundador do Instituto André Voisin e é considerado um dos principais divulgadores do sistema. Recebeu homenagens como a Medalha do Mérito do Sistema Confea/Crea.

O Conselho Federal de Engenheiros Agrônomos (Confea) destaca que Pinheiro Machado tinha um “olhar atendo para as tendências. Entre 1983 e 1984, enquanto presidia a Federação das Associações de Engenheiros Agrônomos do Brasil (Faeab), ajudou a fomentar a agricultura orgânica e a agroecologia no Brasil, tema abordado na obra A Dialética da Agroecologia – Contribuição para um Mundo com Alimentos sem Veneno (2014).”

Também chama a atenção para sua “marcante atuação social”: desde a década de 1990, ministrava palestras e orientava projetos de Pastoreio Racional Voisin aos assentados da reforma agrária.

O Confea relata também que “Luiz Carlos Pinheiro Machado já foi paraninfo de 40 turmas de engenheiros agrônomos em diversas universidades no Brasil, além de ter sido galardoado com prêmios e honrarias. Entre eles, o Mérito Agronômico no Brasil, em que foi o único eleito por unanimidade, em 1983, e a Comenda do Legislativo Catarinense (2013), em consideração à importante trajetória acadêmica e militância política de longa data.”

O sepultamento de Pinheiro Machado ocorreu nessa sexta-feira 3, no Cemitério Santa Casa, em Porto Alegre/RS.

Da redação, com Embrapa

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta