Altas do milho e do farelo pioram relação de troca de pecuarista

Apesar de a cotação da arroba seguir em patamar recorde ao longo deste mês, as significativas altas nos valores do milho e do farelo de soja, importantes insumos da alimentação bovina, vêm prejudicando a relação de troca de pecuaristas.

Segundo pesquisadores do Cepea, esse cenário é verificado justamente neste momento de entressafra pecuária, quando muitos produtores intensificam o uso do cereal e do derivado de soja na alimentação animal.

Na parcial de agosto, a venda de uma arroba (foi considerado o Indicador do boi gordo CEPEA/B3, mercado paulista) possibilita a compra de pouco mais de 16 quilos de milho (Indicador ESALQ/BM&FBovespa, base Campinas-SP), contra 18 quilos em julho.

Quanto ao farelo de soja, a venda de uma arroba de boi gordo em São Paulo em agosto permite a aquisição de 8,2 quilos do derivado, menos que o observado no mês anterior (8,42 quilos de farelo).

Do Cepea

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta