Avicultores brasileiros debatem remuneração no sistema de integração; cenário é de dificuldades  

Fernando Cézar Ribeiro, presidente da Fape-DF – Foto: Elio Rizzo/AGROemDIA

Da redação//AGROemDIA

Representantes da avicultura brasileira vão se reunir em Brasília, nos dias 2 e 3 de dezembro, para debater os gargalos e as oportunidades do setor. Eles também pretendem ter uma audiência com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para expor o cenário da cadeia. A avaliação dos avicultores que trabalham no sistema de integração é que está havendo um grande descompasso entre a remuneração deles e os ganhos das agroindústrias, impulsionados especialmente pelas exportações e pelo aquecimento da demanda interna.

Um dos articuladores da reunião dos coordenadores estaduais da Comissão para Acompanhamento, Desenvolvimento e Conciliação da Integração (Cadec), formada por representantes dos produtores e da indústria, é o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Distrito Federal (Fape-DF), Fernando Cézar Ribeiro. De acordo com ele, é necessário garantir sustentabilidade aos avicultores que participam da cadeia da integração.

“Enquanto a agroindústria cresce, os produtores estão cada vez mais sem capacidade de fazer novos investimentos nas granjas”, diz Fernando Cézar. Segundo a Embrapa Suínos e Aves, o índice de custos de produção do frango acumula alta de 36,33% no ano (até outubro) e de   37,43% nos últimos 12 meses. A alimentação das aves e os preços dos pintos de um dia são os principais responsáveis pelo aumento dos gastos dos avicultores.

Para Fernando Cézar, é necessário haver um maior equilíbrio dentro da cadeia da avicultura, a fim de que os produtores possam fazer frente à alta dos custos de produção e, ao mesmo tempo, reinvestir nas granjas. “Por isso”, assinala, é “importante unirmos esforços para que possamos identificar os gargalos, mostrar as dificuldades dos produtores e apontar as oportunidades”.

Conforme o presidente da Fape-DF, os coordenadores estaduais da Cadec vão elencar as demandas dos avicultores para apresentar, durante reunião no dia 3 de dezembro, à diretoria da área de agropecuária da JBS – uma das líderes globais da indústria de alimentos, cujos frigoríficos têm forte atuação no sistema de integração da avicultura. Após o encontro com a JBS, na sede da Fape-DF, eles esperam se reunir com a ministra Tereza Cristina.

O presidente da Fape-DF ressalta as projeções oficiais são de um crescimento de 40% no setor nos próximos 10 anos.   “O produtor precisa ser incluído nesse avanço para que possa, inclusive, fazer investimentos na atividade, que depende tanto do avicultor quando das agroindústrias”, enfatiza Fernando Cézar. “O setor só sobrevive se houver produtor.”

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

3 comentários em “Avicultores brasileiros debatem remuneração no sistema de integração; cenário é de dificuldades  

  • 26 de novembro de 2020 em 22:58
    Permalink

    Pertencia ao sistema de integração em brasilia,13 anos de escravidão……

    Resposta
    • 27 de novembro de 2020 em 12:27
      Permalink

      Somente embromação nós integrados não temos clareza em nada eles vão retiram o frango manipulam resultados e paga o que querem. Somente os grades tem uma boa remuneração pois se não tiver mudam para outra empresa. Vergonha estou no ramo a 25 anos e nada mudou

      Resposta
  • 29 de novembro de 2020 em 04:57
    Permalink

    O que realmente precisamos é de um aporte em caso de uma doença sanitária, não adianta modernizarmos nossas granjas, se em caso de salmonela, por exemplo, não termos como pagar os investimentos e os funcionários.

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: