Com menor oferta, disputa por mandioca deve aumentar em 2021

Foto: Vanderlei Santos/Embrapa

Nos últimos anos, a área ocupada com mandioca no Brasil diminuiu, enquanto a produtividade não aumentou. Como resultado desse cenário, a oferta tem sido menor, e, pelo menos por enquanto, é o que também se espera para 2021. Nas áreas de mandioca destinada à indústria, produtores avançaram com a colheita e a comercialização de raízes de 1º ciclo ainda em 2020, reduzindo a disponibilidade do produto em 2021.

Segundo colaboradores do Cepea, os reflexos da pandemia de covid-19 na cadeia produtiva da mandioca em 2020 foram transitórios, mas, ainda assim, o ano foi marcado pela menor demanda por derivados. Para 2021, há expectativa de retomada da economia, o que pode elevar a procura pelos derivados de mandioca e a necessidade de processamento de raízes. Com oferta restrita, deve haver maior disputa pela matéria-prima em 2021.

As consideráveis altas nos preços de diversos produtos agropecuários devem continuar influenciando a disputa por área. Com exceção dos locais onde a mandiocultura está mais consolidada, outras atividades, especialmente grãos e pecuária, devem tomar parte das áreas com as raízes. Essa decisão também deve estar atrelada ao comportamento dos preços ao longo do ano.

Do Cepea

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: