Deputados lançam Frente Parlamentar em Apoio ao Produtor de Leite

Deputado Major Vitor é um dos articuladores do novo colegiado da Câmara – Foto: fabio Pozzembom/ABr

Da redação//AGROemDIA*

A Câmara dos Deputados está ganhando um novo colegiado em defesa do setor rural. É a Frente Parlamentar em Apoio ao Produtor de Leite, que está em fase de coleta de assinaturas para sua instalação. O objetivo da frente é acompanhar a política nacional de produção de leite e incentivar programas e ações públicas, visando tornar a cadeia ainda mais competitiva para continuar oferecendo um produto saudável, de qualidade e a preços acessíveis aos consumidores brasileiros, além de buscar o aumento das exportações.

O requerimento de registro da frente, que já está no sistema de coleta de assinaturas do Legislativo, foi apresentado à Mesa Diretora pelo deputado Vitor Hugo (GO), líder do PSL na Câmara. Também assinaram o documento os seguintes parlamentares: Aline Sleutjes (PSL-PR), Ronaldo Santini (PTB-RS), Sanderson (PSL-RS) e Carla Zambelli (PSL-SP).

A criação da Frente Parlamentar em Apoio ao Produtor de Leite foi articulada, nos últimos meses, pelos parlamentares e pela base produtora, com a participação dos movimentos Construindo Leite Brasil, Inconfidência Leiteira, União e Ação e Aliança e Ação, entre outros, que reúnem milhares de pecuaristas em grupos nas mídias sociais e aplicativos de mensagens, como o WhatsApp.

A ideia é abrir um novo espaço de fortalecimento da cadeia leiteira, a fim de debater e propor políticas que deem sustentabilidade à atividade. Para a base produtora, a frente deve contribuir para evitar crises como a atual, provocada pelos altos custos de produção, elevadas importações de lácteos e queda nos preços do leite aos produtores, além de falta de previsibilidade no pagamento do produto pelos laticínios.

Entre as finalidades da frente, estão as de buscar o aperfeiçoamento da legislação sobre produção de leite; cooperar com entidades governamentais na seleção e acompanhamento das atividades que visem melhorar e inovar a produção de leite no país; incentivar a promoção de debates, simpósios, seminários e outros eventos relacionados à Política Nacional para a Produção de Leite; e promover o intercâmbio com outras frentes parlamentares, buscando o aperfeiçoamento recíproco.

Rafael Hermann (Construindo Leite Brasil), Awilson Viana (Inconfidência Leiteira) e Marco Sergio Batista Xavier (Aliança e Ação)

Mudanças necessárias

Segundo o produtor gaúcho Rafael Hermann, um dos coordenadores do Construindo Leite Brasil, a criação da Frente Parlamentar em Apoio ao Produtor de Leite é fundamental para trabalhar de forma mais efetiva, com o comprometimento do Legislativo, ações voltadas ao fortalecimento do setor.

“Por isso, é fundamental que a frente se estruture para que possa desenvolver propostas que resultem em benefício para o produtor de leite”, ressalta Rafael. “A Frente Parlamentar em Apoio ao Produtor de Leite é uma grande oportunidade para trabalharmos projetos estruturantes e, ao mesmo tempo, ações emergenciais voltadas à cadeia leiteira e aos produtores de leite.”

O produtor Awilson Viana, do Inconfidência Leiteira, acrescenta: “O produtor de leite vive uma outra realidade do agro. Não estamos aproveitando a maré alta das commodities. Pelo contrário, nossas vacas comem as comodities e nosso produto, o leite, é vendido em reais no mercado interno. Diante desta disparidade, a base dos produtores, os movimentos digitais, sentiram a necessidade de apoiar a criação da Frente parlamentar em apoio ao produtor de leite, a FPPL.” (leia, abaixo, a nota do Inconfidência Leiteira).

Marco Sérgio Batista Xavier, um dos coordenadores dos movimentos Aliança e Ação e União e Ação, que reúnem produtores de Goiás, ressalta que a FPPL surge para defender os “interesses republicanos da classe produtora de leite”. A frente, completa Marco Sérgio, será um fórum permanente de discussão de temas de interesse do setor, que envolve cerca de 1,2 milhão de pequenas, médias e grandes propriedades rurais e aproximadamente 5 milhões de pessoas. Com isso, sublinha, os protutores passarão a ter ainda mais protagonismo nos debates para o fortalecimento e estruturação da cadeia leiteira (leia, abaixo, a nota dos movimentos Aliança e Ação e União e Ação).

Clique no link abaixo para ler íntegra do requerimento de criação da Frente Parlamentar em Apoio ao Produtor de Leite:

requerimento frente parlamentar produtor de leite

Nota do movimento Inconfidência Leiteira:

“O PRODUTOR DE LEITE nacional vive uma outra realidade do Agro. Nós não estamos aproveitando a maré alta das COMMODITIES. Pelo contrário, nossas vacas comem as commodities e nosso produto, o LEITE, é vendido por reais no mercado interno.

Perante esta disparidade, a base dos produtores, os movimentos digitais, sentiram a necessidade de criar uma FRENTE PARLAMENTAR EM APOIO AO PRODUTOR DE LEITE (FPPL).

Com o apoio do Legislativo, entendemos que as mudanças necessárias para trazer a cadeia leiteira nacional para a competitividade mundial seja acelerada.

Precisamos de legislação que evolua os produtores, que modernize nossa pecuária leiteira, que reformas sejam votadas com objetivo de redução de custo de produção. Redução de carga tributária, de taxas financeiras, de burocracias. Precisamos de leis que permitam aos produtores a segurança para investir e prosperar.

Acreditamos que os parlamentares envolvidos com a FPPL, os que assinarem para a sua criação, passarão a nós representar de fato dentro da Casa.

Acreditamos em ORDEM E PROGRESSO!

Acreditamos na FPPL – FRENTE PARLAMENTAR Em APOIO AO PRODUTOR DE LEITE.”

Nota dos movimentos Aliança e Ação e União e Ação:

“O Brasil tem quase 1.200 mil propriedades produtoras de leite pequenas, médias e grandes. Em quase a sua totalidade, a atividade é executada por famílias com aproximadamente 5 milhões de pessoas. Sistemas de produção diferentes com desafios inerentes às dimensões e características do território nacional, ocupando 98% do total dos municípios do país.

Os empresários produtores de leite têm importância socioeconômica nos municípios brasileiros e empregam indiretamente 20 milhões de pessoas. São fornecedores, prestadores de serviços, técnicos, colaboradores e profissionais de inúmeras especialidades.

A cadeia láctea brasileira tem papel fundamental e diferenciada na economia do país e deve ser explorada toda a sua pujança, de maneira a buscar a harmonia entre os seus elos. Investimentos em tecnologia e profissionalismo de forma planejada podem atender os desafios e as diretrizes de governo, através de um Plano Estratégico, com metas para 2021, 2022, 2025 e 2030, que traga transparência e ações necessárias para tal alcance. Muitas dessas ações serão traduzidas por meio de reformas administrativas, tributárias e legislativas, tão necessárias para projetar o nosso país a um alcance nutricional da população, com preços competitivos e acessíveis ao consumidor brasileiro.

A potencialidade da cadeia láctea brasileira, com visão holística, envolvendo os pequenos, médios e grandes produtores, tem tudo para surpreender o Ministério da Economia e o nosso presidente Bolsonaro com uma contribuição para implementação do plano “Renda Brasil”, sem custos ao governo, com ajustes e correções de anomalia e com repercussão socioeconômica nos municípios.

Objetivos

A FPPL será pautada pelos produtores de leite brasileiros, que anseiam e lutam pela sua participação, colaboração e interferência nas estratégias e buscam a quebra de paradigmas dentro do setor láctea, refletindo de forma digna e democrática e em pé de igualdade junto aos demais elos da cadeia láctea.

Diante do cenário atual, há necessidade de reformas estruturantes e emergenciais para que o empresário produtor de leite seja inserido nos fundamentos e leis de livre mercado, observando cuidadosamente as repercussões e características inerentes e exclusivas da produção leiteira brasileira. Identificando e reforçando o core business do setor lácteo brasileiro, que anseia se tornar o maior produtor de leite do mundo em volume e qualidade de leite, com mecanismos de controle de demandas que regulem a oferta.

A FPPL vem em defesa dos interesses republicanos da classe produtora de leite, que trabalha com seres vivos, planta e animais, que exigem cuidados diários o ano inteiro. Para tanto, necessita a observância quanto a legislação tributária, trabalhista e ambiental que tragam amparo necessário a produção sustentável, buscando o conforto animal initerruptamente, com total comprometimento com o meio ambiente, o consumidor e a sociedade de maneira geral.”

*Conteúdo protegido por direito autoral; reprodução permitida apenas com autorização prévia.

 

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

3 comentários em “Deputados lançam Frente Parlamentar em Apoio ao Produtor de Leite

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: