Inscrições para 1º hackathon sementeiro do Brasil terminam dia 31 deste mês

Foto: Seedthon/Divulgacao

O prazo para se inscrever no Seedthon, o primeiro hackathon sementeiro do Brasil, promovido pela Associação Brasileira de Tecnologia de Sementes (Abrates), em parceria com a Corteva, termina nesta quarta-feira (31). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas por equipe ou individualmente no site do XXI Congresso Brasileiro de Sementes. Segundo a organização do evento, os inscritos que não tiverem equipe serão direcionados para um grupo no Telegram, formado por pessoas na mesma situação, para que possam se conhecer e formar suas equipes.

O Seedthon é um pré-evento do XXI Congresso Brasileiro de Sementes, que será realizado pela Abrates entre os dias 6 e 9 de dezembro de 2021, em Curitiba (PR). Ele integra o programa mundial de eventos Plant Science Symposia Series, iniciativa da Corteva, que desde 2008 vem estimulando as novas gerações de cientistas do agro.

As equipes inscritas passarão por treinamentos durante 45 dias nas áreas de projeto, inovação, pitches, como vender uma ideia, e mentorias técnicas de empresas e universidade, onde os problemas reais do setor serão discutidos com as equipes participantes. O pitch final está programado para a última semana de maio.

Com o tema “Inovações no setor sementeiro”, o Seedthon será realizado no formato online e deve reunir técnicos, empresários, pesquisadores, docentes e estudantes, além de representantes da agroindústria.

Premiação

As três melhores equipes do Seedthon serão contempladas com prêmios que somam R$ 34 mil. A primeira colocada ganhará R$ 16 mil e bolsa de 30% de desconto em qualquer curso de MBA da Esalq/USP (Pecege), a segunda melhor equipe, R$ 10 mil e a terceira, R$ 8 mil. Além destes atrativos, várias empresas irão fornecer mentoria e estarão de ‘olho’ nos participantes para possível recrutamento de novos talentos.

Universidades participantes

A organização do Seedthon envolve estudantes e profissionais de agronomia de 10 universidades do país. Do Paraná, integram a comissão organizadora Andreza Cerioni Belniaki, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Emanueli Bastos Garcia, da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e Rayssa Fernanda dos Santos, da Universidade Estadual de Maringá (UEM). São Paulo conta com a representação de Samara Moreira Perissato, da Universidade Estadual Paulista (UNESP) e Lívia Araújo Rohr, da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ), da Universidade de São Paulo (USP). De Minas Gerais, o hackathon tem a colaboração de Daniel Teixeira Pinheiro, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), e Venícius Reis, da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Integram a equipe também Erivanessa Sarmento, da Universidade Federal do Ceará (UFC), Jaquelini Garcia, da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e Jucimar Alves de Souza, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

De acordo com a agrônoma Andreza Cerioni Belniaki, pós-graduanda da UFPR, o primeiro hackathon sementeiro do país deve reunir dezenas de equipes, que poderão ser compostas de três a seis pessoas. “Temos um limite de participantes em função dos prazos e avaliação das soluções. Queremos que este evento conecte o setor. Após ouvirmos os anseios de mais de 60 empresas de várias regiões do Brasil já temos três cases e vamos colocar estes desafios para discussão no Seedthon, na busca de criar as soluções, checar novas demandas, incentivar o empreendedorismo e propiciar as conexões entre profissionais, pesquisadores e empresas, permitindo a construção de networking. Esse é o grande objetivo da maratona”, detalha Andreza.

Os cases só serão divulgados pela organização um mês antes das apresentações dos pitches finais, em que as equipes terão um tempo breve para defender a solução encontrada para o case escolhido. Segundo os organizadores, os desafios buscam tecnologias e inovações para o setor sementeiro.

A agrônoma Emanueli Bastos Garcia, pós-graduanda da UEL, destaca que o regulamento do hackthon estimula as equipes com maior diversidade de integrantes. “Estas equipes ganharão pontos, em caso de empate na avaliação. As que tiverem em sua composição profissionais que já atuam na área sementeira, estudantes de graduação e pós-graduação do setor, profissionais de áreas diversas, como TI, engenharias e administração terão sua nota elevada e podem ter uma melhor pontuação”, enfatiza Emanueli.

Podem participar do Seedthon qualquer pessoa maior de 18 anos, de qualquer área profissional, que queira empreender no setor sementeiro. “Não precisa ser agrônomo, pode ser técnico agrícola, ou de qualquer outra área profissional. Pode até ter uma equipe inteira de pessoas de outros países, desde que tenha um integrante que fale o português para ser o interlocutor e fazer as apresentações”, explica Andreza.

O Seedthon conta com o patrocínio da Agrotis, Corteva, Incotec, GDM, Pecege, Rizobacter e Silomax. E também com o apoio da AgroAgenda e InovaHub.

SERVIÇO 

Seedthon – “Inovações no setor sementeiro” 

Período de inscrições: de 22 de fevereiro a 31 de março de 2021

Inscrições: https://www.cbsementes.com/seedthon/ 

Contato: Grupo no Telegram https://t.me/seedthon 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: