Exportações brasileiras de frutas crescem 21,39% em volume no 1º quadrimestre

Foto: Giovani Capra/Embrapa

O volume das exportações brasileiras de frutas cresceu 21,39% nos primeiros quatro meses deste ano, em relação ao mesmo período de 2020. Os dados constam do 5º Boletim Prohort, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) nesta terça-feira (18).  Em valor, as vendas externas do setor aumentaram 23,22%.

Ainda de acordo com a Conab, a Europa foi o principal destino das frutas brasileiras nos primeiros quatro meses de 2021. Os principais importadores europeus foram os Países Baixos, o Reino Unido e a Espanha.

As exportações de maçã tiveram crescimento superior a 100%. Nos últimos dois anos, os embarques da fruta, entre janeiro e abril, ficavam abaixo de 30 mil toneladas. Em 2021, já foram exportadas cerca de 60 mil t do produto. Os principais destinos foram Índia, Bangladesh e Rússia.

Também houve aumento nas exportações de melancia. O volume embarcado, no primeiro quadrimestre de 2021, foi de 28,35 mil t, alta de 24,61% em relação ao acumulado no mesmo período de 2020.

Segundo a Conab, a valorização do dólar, a boa qualidade das frutas, a menor produção da melancia espanhola e a demanda interna fraca foram fatores que influenciaram o resultado das exportações do setor.

Flores 

O Boletim Prohort traz, neste mês, uma avaliação da comercialização de flores e plantas ornamentais em meio às ações de combate à covid-19. Um texto analítico elaborado pelo Instituto Brasileiro de Floricultura (Ibraflor) mostra que grandes players, como Quênia, Etiópia, Colômbia e Equador, tiveram maior dificuldade em manter os envios para a Europa e os Estados Unidos, o que abriu espaço para a entrada dos produtos brasileiros.

Nos primeiros três meses de 2021, foram exportadas 270 toneladas de plantas vivas e produtos de floricultura, com faturamento de US$ 2,3 milhões. O volume embarcado foi 92% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando foram vendidas 141 t. Já em comparação com o mesmo trimestre de 2019, quando foram escoadas 155 t de produtos, o acréscimo foi de 75%.

Segundo a Conab, apesar da queda da demanda por causa das medidas de isolamento social, o setor se adaptou à nova realidade com forte expansão do comércio eletrônico e uso progressivo de plataformas de entrega, que permitiram a retomada de boa parcela dos negócios, em especial pelos produtores com maior estrutura.

Hortaliças 

Conforme a Conab, a fim da safra de verão reduziu a quantidade de tomate comercializado nos mercados, pressionando os preços para cima na média de abril.

No caso da batata, as cotações apresentaram novamente tendência de baixa, movimento que vem sendo observado desde janeiro. Em maio, a expectativa é que haja pressão de alta dos preços.  O encerramento da safra das águas e o começo do fornecimento, com o início da temporada de seca, devem influenciar na recuperação das cotações para o produtor.

 

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: