Rotação de culturas é alternativa para atenuar custos de produção do arroz

Foto: Fagner Almeida/Divulgação

A Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz) reforçou, nesta terça-feira (27), a recomendação para que os produtores diversifiquem os cultivos e adotem a rotação de culturas para viabilizar os seus negócios, buscando atenuar a alta dos custos de produção prevista para a próxima safra. Segundo a entidade, a integração com a soja e a pecuária vem trazendo sustentabilidade para quem aposta neste modelo.

Segundo o presidente da Federarroz, Alexandre Velho, a gestão dos custos e dos investimentos aliada a essas premissas são fundamentais para a manutenção das atividades. Gestão eficiente, alta produtividade e rotação com a soja e pecuária, assinala, asseguram condições para enfrentar as adversidades. “É fundamental termos o nosso próprio custo de produção. Se tenho um preço que paga o nosso custo e ainda me traz uma renda, não tenho razão para segurar o produto. Costumo dizer que se garante quem precisa e arrisca quem pode.”

Alexandre Velho também prevê que a área de soja na Metade Sul do Rio Grande do Sul deve aumentar nos próximos anos. Na última safra, ela chegou a 370 mil hectares. “Tenho convicção de que, nos próximos dois anos, iremos ultrapassar os 500 mil hectares de soja somente na Metade Sul. Para equalizar os custos do arroz, da soja e das pastagens, nada mais apropriado que a intensificação do sistema. Com o preço dos fertilizantes, temos que olhar o quanto estamos adubando as pastagens e o que podemos diminuir de adubação na hora do plantio do arroz e da soja.”

O presidente da federação lembra ainda que o arroz tem muitos fatores de mercado que influenciam nos negócios. O câmbio acima de R$ 5,00, cita o dirigente, traz uma paridade mais alta com relação ao Mercosul e há uma incógnita: esse câmbio descerá para R$ 4,80 ou vai para R$ 5,50. “Isso trouxe uma instabilidade nos negócios de exportação e, em função disso, compras menores do varejo por de estar apostando em preços menores na semana seguinte. Mas já estamos observando uma reação no mercado e toda e qualquer exportação, embora menor do que o volume necessário, nos ajuda.”

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: