China autoriza retomada das compras de carne bovina do Brasil

Foto: Pixabay License

Após três meses de suspensão, devido à ocorrência de dois casos atípicos da doença da “vaca louca”, um em Minas Gerais e outro em Mato Grosso, a administração aduaneira da China anunciou, nesta quarta-feira (15), a retomada das compras de carne bovina do Brasil. A liberação dos embarques é um alívio para a indústria frigorífica brasileira, já que o país asiático é o principal importador do produto.  

Maior exportador de carne bovina do mundo, o Brasil suspendeu as exportações para a China no início de setembro, cumprindo protocolo sanitário entre os dois países que prevê a interrupção dos embarques quando ocorrer algum caso da doença da “vaca louca”.

Conforme a Agência Reuters, a China autorizou as compras de produtos brasileiros de carne bovina desossada de animais com menos de 30 meses, segundo comunicado publicado no site da Administração Geral das Alfândegas.

A medida atende pedido do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e de entidades representativas da cadeia de carne bovina, que vinham negociando com o governo chinês a retomada dos embarques.

Negociação técnica

“Retomamos o fluxo normal de exportações para a China. Tivemos uma negociação bastante técnica, com uma série de trocas de informações e reuniões com a equipe da autoridade sanitária chinesa. Já tínhamos concluído o envio das últimas informações pelo nosso canal via embaixada em Pequim há cerca de um mês. Então, já esperávamos que houvesse uma solução desta solução”, disse o secretário Defesa Agropecuária do Mapa, José Guilherme Leal. Segundo ele, a certificação e o embarque da proteína animal para a China serão normalizados e podem ser retomados a partir desta quarta-feira (15).

“Desta forma”, acrescentou José Guilherme Leal, “o país asiático passa a aceitar novamente os lotes de carnes brasileiras certificadas a partir desta quarta-feira. É uma boa notícia para o setor, já que se trata do principal destino de importação de carne bovina brasileira”.

Conforme o secretário de Comércio e Relações Internacionais, Orlando Leite Ribeiro, o Brasil forneceu todas as informações solicitadas pelas autoridades chinesas. “Eles ficaram satisfeitos com o nível de informações fornecidas pelo Mapa. Nossa equipe teve contato com as autoridades chinesas quase que diariamente. Quando as informações técnicas satisfizeram as autoridades chinesas, eles reabriram o mercado.”

Em novembro, a China já havia liberado alguns lotes de carne bovina brasileira que receberam a certificação sanitária nacional até o dia 3 de setembro de 2021, lembra nota divulgada pelo Mapa.

Clique aqui para ler a nota conjunta MAPA-MRE sobre a retomada das exportações brasileiras de carne bovina para a China

*Com informações do Mapa, Agência Reuters e G1

**Matéria atualizada às 11h32

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: