Produtores de município de MT ameaçam parar de entregar leite para laticínios

Foto: Divulgação/Famato

Os produtores de leite de Novo São Joaquim – município mato-grossense localizado no Vale Médio do Araguaia e distante 493 quilômetros da capital Cuiabá – estão dispostos a suspender o fornecimento da matéria-prima para os laticínios, a partir de 1º de fevereiro. Segundo eles, o valor pago pela indústria láctea e os altos custos de produção estão tornando a atividade inviável.

Nesta sexta-feira (28), dirigentes do Sindicato Rural de Novo São Joaquim, produtores rurais, representantes de entidades do agro e autoridades municipais e estaduais se reunirão, às 13h, na Câmara Municipal, para tomar uma posição em relação à redução do preço pago pelos laticínios pelo litro do leite e cobrar providências. O valor, que era de R$ 2,00, foi reduzido para R$ 1,60.

O presidente do sindicato, Carlos Royttmen Pires da Silva, antecipou que os produtores devem suspender o fornecimento do leite aos laticínios, a partir de 1º de fevereiro. “Nenhum produtor será obrigado a suspender o fornecimento, mas a maioria é favorável à decisão. Queremos diálogo com os laticínios, participar das decisões. Afinal, produzimos e fornecemos o leite.”

Ainda de acordo com Carlos Royttmen, a região oeste é considerada a maior bacia leiteira de Mato Grosso. Entretanto, assinala, é a mais penalizada pelos baixos preços pagos pelo leite. “Não fomos consultados sobre essa redução, o setor se sente desprestigiado, desvalorizado e injustiçado. Isso é um absurdo! Dessa forma, muitos pecuaristas vão abandonar a atividade e optar por outras fontes de renda”, desabafou.

Com a rentabilidade comprometida, acrescentou Carlos Royttmen, o pecuarista será obrigado a diminuir o rebanho e a captação diária do lácteo. “Se continuar desta forma, a cadeia vai acabar. Não conseguimos entender, tudo sobe, o consumidor paga caro no mercado pelo leite, cerca de R$ 4,50 por litro, e ainda acham que nós, produtores, é que estamos ganhando demais.”

O dirigente do sindicato enfatizou que o custo do pecuarista para produzir é muito alto e o preço que pagam pelo litro do leite não cobre as contas. “O pecuarista gasta com a nutrição dos animais, milho, farelo, suplementos minerais, medicamentos, vacina, entre outros insumos, e quando chega no final do mês as contas não fecham”.

SERVIÇO:

Reunião para discutir o preço do leite pago pelo laticínio aos produtores

Quando: 28 de janeiro (sexta-feira)

Horário: 13h

Local: Câmara Municipal de Novo São Joaquim

*Com informações da Famato

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: