Rússia pede a fabricantes suspensão de exportações de fertilizantes

Foto: Divulgação

O governo da Rússia pediu aos fabricantes de fertilizantes do país que suspendam as suas exportações. Fábricas de insumos para os produtos também devem seguir a recomendação. A medida pode ter reflexo na produção mundial de alimentos, especialmente no Brasil, que depende da importação desses insumos para o cultivo de grãos.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) está acompanhando a situação, já que a Rússia e a Ucrânia são grandes produtores desses insumos. Em 2021, cerca de 60% dos fertilizantes importados pelo Brasil vieram do mercado russo.

O Brasil importa 85% do fertilizante usado nas lavouras do país. A Rússia responde por cerca de 30% do suprimento ao país. Belarus, nação aliada de Vladimir Putin, por cerca de 20%.

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro visitou o presidente russo, Vladimir Putin, para garantir o fluxo de fosfatados e nitrogenados para o Brasil. Agora, com o pedido feito nesta sexta-feira (4) pelo governo russo, a solicitação de Bolsonaro deve ser desconsiderada.

Nesta semana, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, assegurou que o estoque de fertilizantes para o agronegócio no Brasil está garantido até outubro. Entretanto, a Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda) informou que o Brasil tem estoque de fertilizantes até junho.

Um dos componentes que causam preocupação é o cloreto de potássio. Mais de 2 milhões de toneladas já estavam comprometidos com as sanções anteriores à Bielorrúsia e outros 3 milhões de toneladas esperados têm como origem a Rússia.

Como alternativa, o Brasil pode tentar importar potássio, principal elemento dos fertilizantes, do Canadá, de Israel, do Chile, de Omã, de Marrocos e do Irã, onde Tereza Cristina esteve recentemente e tratou do fornecimento de fertilizantes para a agricultura nacional.

*Com informações de IG, G1 e Folha de S.Paulo

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: