Irrigação é estratégica para garantir segurança alimentar, afirma presidente da CNA

João Martins, presidente da CNA – Foto: Wenderson Araujo/Trilux/CNA/Divulgação

O presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Martins, afirmou, na abertura do evento em comemoração ao Dia Nacional da Agricultura Irrigada, que a irrigação é uma alternativa tecnológica para intensificar a atividade produtiva, uma “estratégia de segurança alimentar” e uma opção para aumentar a oferta de produtos agrícolas.

Promovido nesta terça-feira (14) pelo Sistema CNA/Senar, em parceria com os Ministérios do Desenvolvimento Regional (MDR) e da Agricultura (Mapa), o evento reuniu especialistas dos setores público e privado para discutir propostas de ampliar o potencial do setor e para celebrar o Dia Nacional da Agricultura Irrigada, comemorado amanhã (15 de junho).

João Martins começou seu discurso falando como a “nossa resiliência” tem sido colocada à prova a todo momento. Primeiro, assinalou, com a pandemia. Depois, com a guerra que, embora localizada, traz efeitos a todos os países, como a inflação global nos preços dos alimentos, que “nos faz refletir sobre o modelo de segurança alimentar”.

“Mais do que nunca, tecnologias capazes de aumentar a produtividade e a produção de alimentos são importantes para nos ajudar na construção desse novo e desafiador futuro”, acrescentou ao destacar o potencial do país para a agricultura irrigada como um dos poucos no mundo capazes de triplicar, de forma sustentável, sua área produtiva.

Setor altamente desenvolvido

Martins lembrou que o setor de irrigação é altamente desenvolvido no Brasil, com as melhores técnicas existentes já utilizadas pelos produtores de alimento. Além disso, as principais empresas do setor já atuam no país com tecnologias adaptadas à realidade brasileira.

“O que nos falta, como nação, é o reconhecimento da irrigação como vetor de desenvolvimento e garantia da segurança alimentar, para que seja incorporada como política nacional de desenvolvimento socioeconômico e na política nacional de segurança alimentar.”

O presidente da CNA também ponderou que há grandes desafios a serem superados para que o potencial de irrigação do país se reverta em produção e mais oferta de alimentos, e que “o crescimento sustentável e organizado da área irrigada, no país, exige alto nível de planejamento e articulação entre os vários setores da economia e dos governos federal e estaduais”.

“A finalidade desse evento, além de comemorar o Dia Nacional da Agricultura Irrigada, é criar uma postura crítica e ativa em relação à importância da agricultura irrigada para a sustentabilidade na produção de alimentos e para o desenvolvimento da segurança alimentar no Brasil”, concluiu o presidente da CNA.

Sustentabilidade e inovação

Para o ministro da Agricultura, Marcos Montes, é preciso ampliar a produção irrigada no país com sustentabilidade e inovação tecnológica. “Um dos maiores produtores de alimentos do mundo não pode ter apenas oito milhões de hectares irrigados”, ressaltou.

Segundo ele, o Brasil é o sexto país no mundo com maior área irrigada, mas há potencial para alavancar a atividade para tornar o país o primeiro, gerando mais empregos e produzindo mais no mesmo espaço. “Precisamos desse avanço para sermos o que o mundo espera de nós em segurança alimentar”.

Ele disse ainda que em um futuro com aumento da população mundial, nos próximos 30 anos, o Brasil terá de aumentar sua produção. Neste contexto, a irrigação deve ser ampliada para atender a esta expectativa.

Veronica Sanchés da Cruz Rios, diretora-presidente da Agência Nacional das Água e Saneamento Básico (ANA), destacou o papel da irrigação na geração de emprego, renda e desenvolvimento e disse que a agência está trabalhando, com a colaboração da CNA e do governo, na construção de marcos hídricos para alavancar a atividade irrigada no país.

Disponibilidade hídrica

“Nosso trabalho é disponibilizar água de forma segura para a agricultura irrigada e todos os setores, atendendo às maiores demandas para garantir a disponibilidade hídrica”.

Já Alice de Carvalho, secretária-executiva do Ministério do Desenvolvimento Regional, falou sobre a importância da irrigação em níveis regionais para contribuir com a segurança alimentar. Neste sentido, ela disse que o órgão atua para assegurar o fomento a novas tecnologias.

“A cada hectare irrigado são três empregos gerados. E desenvolvemos hoje muitas ações para dar um salto de qualidade nesse setor, porque o mundo espera que o Brasil continue sendo um grande produtor de alimentos”. Ela também citou as ações da pasta em conjunto com esferas regionais para a construção de polos de irrigação.

Da CNA

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: