MT: Iagro investe mais de R$ 50 milhões em pesquisas para beneficiar produtores

Foto: Aprosoja MT/Divulgação

O Instituto Mato-grossense do Agronegócio (Iagro) investirá cerca de R$ 50 milhões em pesquisas agrícolas nos próximos cinco anos. A decisão, tomada em assembleia dos associados do Instituto no final do ano passado, já está sendo implementada.

Parte dos recursos será aplicada no Centro Tecnológico Aprosoja (Ctecno) Parecis, no município de Campo Novo do Parecis (a 396 quilômetros a noroeste de Cuiabá), que já vem realizando pesquisas há seis anos com ênfase no manejo agrícola em solos arenosos.

Esse, aliás, foi o primeiro grande investimento em pesquisa que o Iagro fez em parceria com a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), com a proposta de obter informações que direcionem o correto manejo desse tipo de solo.

“Boa parte da produção agrícola do estado é feita em solos arenosos, que, por natureza, são menos produtivos. Diante deste desafio, enxergamos a necessidade de investir em pesquisas que auxiliassem o produtor e hoje já contamos com um histórico de resultados positivos para alavancar a produtividade estadual”, destaca o presidente da Aprosoja-MT, Fernando Cadore.

Apesar de serem entidades voltadas à organização dos produtores rurais, o Iagro e o antigo Fundo de Apoio à Cultura da Soja (Facs), desde as respectivas criações, vêm priorizando a destinação de recursos para pesquisas, em parcerias com entidades como Fundação Mato Grosso e Embrapa. Uma dessas iniciativas é o projeto Agrocientista, da Aprosoja-MT, que financia bolsas e projetos de pesquisas para alunos de mestrado e doutorado de universidades públicas e privadas.

Melhoramento genético

Neste ano, além dessas iniciativas, o Iagro, junto com a Aprosoja-MT, começou mais dois projetos importantes, um no município de Sorriso, voltado ao melhoramento genético da soja, e outro em Canarana, onde será instalado o Ctecno Araguaia, também focado pesquisas em manejo de solos siltosos.

“O melhoramento genético hoje está concentrado e verticalizado nas mãos das grandes multinacionais. Toda pesquisa, portanto, é bem-vinda. O que buscamos com os Ctecnos Parecis e Araguaia, bem como com o nosso programa de melhoramento, é propiciar ao produtor mais liberdade, opções e independência. O Ctecno do Araguaia, por exemplo, será o primeiro centro de pesquisa no Brasil voltado para solos siltosos, o que significa um grande desafio no seu sistema produtivo e será inédito”, ressalta Cadore.

Além do volume de investimentos, a proposta é ampliar parcerias com entidades de pesquisas que potencializam os resultados para os produtores.

“A pesquisa agrícola demanda grandes investimentos de recursos, sejam financeiros, humanos e científicos. Por vontade dos nossos associados produtores, deliberamos os investimentos da ordem de mais de R$ 50 milhões para os próximos cinco anos e estamos abertos, inclusive, para parcerias com outras entidades de pesquisas para esses projetos. Quanto mais conhecimento científico agregado, melhores resultados serão levados ao produtor e consequentemente, para toda a produção agrícola do estado”, enfatiza o presidente da Aprosoja-MT.

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: