Mandioca: Indústria de fécula já reduz turnos de esmagamento

Foto: Vanderlei Santos/Embrapa/Divulgação

A quantidade de mandioca de segundo ciclo (cultivada em 2020) está muito baixa na maioria das regiões acompanhadas pelo Cepea, e agricultores seguem sem interesse em comercializar raízes mais novas (entre 10 e 12 meses), devido aos menores teor de amido e produtividade.

Além disso, a umidade dos solos segue baixa, o que também tem limitado o avanço dos trabalhos no campo, em especial a colheita, mantendo a oferta abaixo das expectativas. Assim, parte da indústria de fécula já diminuiu os turnos de moagem, sobretudo em Mato Grosso do Sul e no Paraná.

Estimativas do Cepea apontam que a moagem caiu 5% na última semana frente à anterior, com ociosidade média em 47% da capacidade instalada das fecularias.

Nesse cenário, os preços continuam em elevação. Entre 18 e 22 de julho, a média nominal a prazo da tonelada de mandioca posta fecularia foi de R$ 914,74 (R$ 1,5909 por grama de amido), avanço de 1,2% na semana. Em valores atualizados (deflacionamento pelo IGP-DI), o aumento foi de 95,3% em relação ao mesmo período de 2021.

Do Cepea 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: