Milho: Governo já desembolsou R$ 750 milhões para garantir sustentação de preço ao produtor

milho ebc ebc
Foto: EBC

O governo já desembolsou neste ano R$ 750 milhões para apoiar a comercialização de 9,2 milhões de toneladas de milho. Com a destinação dos recursos, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) contribui para a sustentação de preço ao produtor do grão. “O governo está fazendo a sua parte, assegurando ao produtor o valor mínimo estabelecido na Política de Garantia de Preços Mínimos, a PGPM, para que cubra os custos de produção”, destaca o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller.

Os principais instrumentos usados para apoiar a sustentação do preço de milho foram os Contratos de Opção de Venda (COV), o Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) e o Prêmio para o Escoamento (PEP).

Os contratos de opção totalizaram 1 milhão de toneladas de milho, com recursos de R$ 300 milhões. A operação garante aos produtores arrematantes do leilão a possibilidade de vender milho em grãos ao governo federal até 15 de setembro deste ano, por R$ 17,87 a saca de 60 kg.

As operações de PEP somaram R$ 87,1 milhões, nos três estados onde foram realizadas – Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul -, com o prêmio arrematado para 1,65 milhão de toneladas do grão.

O governo liberou para o Pepro, até 21 deste mês, R$ 361 milhões, envolvendo 6,6 milhões de toneladas do cereal em Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

Aves, suínos, bois

Os produtores que arremataram o Pepro deverão, obrigatoriamente, comprovar a venda do milho para avicultores, suinocultores, bovinocultores, ovinocaprinocultores, piscicultores, indústrias de ração ou de alimentação humana e comerciantes, com escoamento para os destinos especificados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O leilão de PEP oferece prêmio ao participante que comprovar a compra do milho em grãos do produtor rural ou sua cooperativa na unidade da Federação de plantio, no valor do preço mínimo fixado pelo governo federal e o posterior escoamento do produto para os destinos indicados pela Conab.

O objetivo do Pepro e do PEP é complementar o valor recebido pela venda do milho para que ele atinja o preço mínimo, que atualmente é de R$ 16,50/sc (MT) e de R$ 19,21/sc (MS e GO), desde que seja escoado de acordo com as condições estabelecidas pela Conab.

As operações de Contrato de Opção foram autorizadas pelo Conselho Interministerial de Estoques Públicos (Ciep) e o PEP e Pepro por meio de portaria interministerial assinada pelos ministros da Agricultura, Fazenda e Planejamento, no começo de abril. O objetivo é garantir preço ao produtor de milho, principalmente no Mato Grosso, além de incentivar o escoamento do excedente de produção para os grandes centros consumidores.

Novos leilões

Nesta quinta-feira (24), a Conab dará continuidade ao apoio aos produtores de milho. Para tanto, estão programados mais dois leilões de 120 mil toneladas pelo PEP para Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal e para a venda e escoamento de 90 mil toneladas, via Pepro, para os mesmos estados.

Veja a tabela com as operações de apoio à comercialização de milho.

*Com informações do Mapa
*Foto capa: Sílvio Ávila/Arquivo Mapa

 

AGROEMDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: agroemdia@gmail.com - (61) 992446832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: