Silvicultura é riqueza

a _ araucaria embrapa
Foto: Luciane Jaques/Embrapa

Waldir Leite Roque, Dr.*

As florestas são classificadas como naturais, quando o povoamento florestal ocorre sem a interferência do homem, enquanto as florestas plantadas são povoamentos florestais cujas implantações são de forma antrópica, por meio de sementes e mudas. Ambas as florestas são extremamente importantes para o meio ambiente, economia e sociedade, mas as florestas plantadas promovem o desenvolvimento sustentável, conciliando os multiusos de produtos madeireiros e não madeireiros com a preservação da floresta natural. A silvicultura é a área do conhecimento dedicada ao estudo dos processos relacionados à implantação e manejo florestais.

As florestas plantadas estão presentes na produção de inúmeros bens, tais como: celulose e papel, madeira tratada para móveis, fonte de energia e carvão vegetal para siderurgia, óleos essenciais, corantes, fitoterápicos, taninos, tintas e solventes, borracha, conservação do solo, qualidade do ar, fixação de carbono, fonte de alimentos, valor estético e pesquisa científica.

O Brasil é o país que apresenta as melhores condições edafoclimáticas, grande disponibilidade territorial, capacidade tecnológica, conhecimento silvicultural e a mais alta produtividade de madeira por hectare/ano do mundo, mas é apenas o sétimo país na exportação de produtos madeireiros, com o Canadá ocupando a primeira posição. No Brasil, a produtividade do volume de madeira alcança, em média, 36 metros cúbicos por hectare/ano, enquanto no Canadá é de apenas 5, com um ciclo médio de rotação das árvores sete vezes maior do que no Brasil.

O Brasil é o país com maior área disponível para expansão agrícola, superior a 103 milhões de hectares, e, por isso, é considerado o celeiro do mundo. No entanto, a silvicultura brasileira ocupa hoje apenas 7,8 milhões de hectares de florestas plantadas para produtos madeireiros, com um potencial de expansão estimado em 10 milhões de hectares, sem prejuízo às demais culturas, por ser capaz de utilizar terras menos nobres.

Em 2015, o PIB da silvicultura brasileira foi de 69,1 bilhões de reais. A FAO, órgão das Nações Unidas para Alimentos e Agricultura, projeta um acréscimo mundial na demanda por madeira até 2025 da ordem de 4.148,4 milhões de m3, e o Brasil tem todo o potencial para ampliar sua participação no mercado internacional de produtos madeireiros provenientes de florestas plantadas certificadas. A silvicultura é tec, é pop, é riqueza, principalmente quando integrada à lavoura, pecuária e produção de energia (iLPFE).

*Consultor em Silvicultura

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: