Lavouras ocupam 7,6% do território brasileiro, diz NASA

a - embrapa lavoura
Foto; Embrapa

As lavouras ocupam 7,6% – o equivalente a 63.994.479 hectares – do território brasileiro, segundo estudo feito este ano pela NASA, a agência espacial norte-americana. A constatação é próxima ao percentual de 7,8% de área plantada – 65.913.738 ha – que havia sido divulgado pela Embrapa Territorial, em 2016.

Os números serão apresentados pelo ministro Blairo Maggi (Agricultura) na abertura do painel “Moldar o futuro da produção animal de forma sustentável, responsável e produtiva”, no Fórum Global para Alimentação e Agricultura.

Maggi usará os números no evento, que ocorrerá durante a Semana Verde Internacional, de 18 a 20 de janeiro, em Berlim, Alemanha, para contestar setores da comunidade internacional que apontam os “agricultores brasileiros como desmatadores”.

Segundo o Ministério da Agricultura, o estudo da NASA demonstra que o Brasil protege e preserva a vegetação nativa em mais de 66% de seu território. “A Dinamarca cultiva 76,8%, dez vezes mais que o Brasil; a Irlanda, 74,7%; os Países Baixos, 66,2%; o Reino Unido 63,9%; a Alemanha 56,9%”, informa, em nota, o ministério.

Chefe-geral da Embrapa Territorial, Evaristo Miranda diz que a NASA, em conjunto com o Serviço Geológico (USGS) dos Estados Unidos, fez amplo levantamento com o mapeamento e o cálculo das áreas cultivadas do planeta baseados em monitoramento por satélites.

Ainda de acordo com ele, durante duas décadas, a Terra foi analisada por pesquisadores do Global Food Security Analysis, com o uso de imagens de alta definição. Eles comprovaram os dados antecipados pela Embrapa. A diferença de 0,2% entre os dados brasileiros e norte-americanos é normal, assinala Miranda.

Áreas cultivadas

Conforme o estudo da NASA, as áreas cultivadas variam de 0,01 hectare por habitante, em países como Arábia Saudita, Peru, Japão, Coréia do Sul e Mauritânia, até mais de 3 ha por habitante no Canadá, Península Ibérica, Rússia e Austrália.

O Brasil tem área cultivada de 0,3 hectare por habitante  e se situa-se faixa entre 0,26 a 0,50 hectare por habitante, assim como a África do Sul, Finlândia, Mongólia, Irã, Suécia, Chile, Laos, Níger, Chade e México.

O levantamento da NASA também dispõe de dados sobre a segurança alimentar no planeta, com a medição da extensão dos cultivos, áreas irrigadas e de sequeiro, intensificação no uso das terras com duas, três safras e até áreas de cultivo contínuo. Não entram nesses cálculos áreas de plantio florestal e reflorestamento. No Brasil, o cálculo levou em conta apenas as lavouras.

De acordo com o estudo, a área da Terra ocupada por lavouras é de 1,87 bilhão de hectares. A população mundial atingiu 7,6 bilhões em outubro passado. Ou seja, em média, cada hectare alimentaria quatro pessoas. A produtividade por hectare varia muito, assim como o tipo e a qualidade dos cultivos.

“Os europeus desmataram e exploraram intensamente o seu território. A Europa, sem a Rússia, detinha mais de 7% das florestas originais do planeta. Hoje, tem apenas 0,1%. A soma da área cultivada da França (31.795.512 hectares) com a da Espanha (31.786.945 hectares) equivale à cultivada no Brasil (63.994.709 hectares)”, destaca Miranda.

A maior parte dos países utiliza entre 20% e 30% do território com agricultura. Os da União Europeia usam entre 45% e 65%. Os Estados Unidos, 18,3%; a China, 17,7%; e a Índia, 60,5%.

“Os agricultores brasileiros cultivam apenas 7,6%, com muita tecnologia e profissionalismo”, assegura Miranda.

As maiores áreas cultivadas estão na Índia (179,8 milhões de hectares), nos Estados Unidos (167,8 milhões de hectares), na China (165,2 milhões de hectares) e na Rússia (155,8 milhões de hectares).  Somente esses quatro países totalizam 36% da área cultivada do planeta. O Brasil ocupa o quinto lugar, seguido pelo Canadá, Argentina, Indonésia, Austrália e México.

Da redação, com informações do Mapa

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: