Maranhão investe na produção de mel da agricultura familiar

mel-maranhao
Foto: Divulgação

O Maranhão é hoje o terceiro maior produtor de mel do Nordeste, com produção de 1,7 mil toneladas em 2017, ficando atrás apenas da Bahia (3.590 t) e Piauí (3.000 t). No ranking nacional, cuja liderança é do Rio Grand do Sul, com 6.200 t, o MA ocupa a oitava posição.

Os dados sobre a produção de mel maranhense foram divulgados pelo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em dezembro do ano passado, e são referentes ao Censo Agropecuário de 2016.

Segundo o presidente da Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp/MA), Júlio César Mendonça, o bom desempenho do estado na produção de mel é resultado do trabalho que o governo estadual faz com os criadores de abelhas, principalmente através os serviços de assistência técnica.

Na avaliação de Mendonça, os dados também demonstram que as condições climáticas e de pasto apícola são favoráveis ao desenvolvimento intensivo de abelhas africanizadas no Maranhão.

Região do Alto Turi

No Maranhão, o Alto Turi é a região que mais produz mel. O município de Santa Luzia do Paruá é o primeiro colocado da região, com 387 toneladas. Em segundo lugar, vem Maranhãozinho, com 288 t, seguido de Maracaçumé, com 167 t.

Outros municípios que se destacam na produção de mel no estado são Junco do Maranhão (133 t.) e Viana (127 t).

De acordo com a Agerp, os números da produção dos municípios mostram ainda que a produtividade do mel está crescendo no Maranhão. A agência aponta o Programa Mais Produção, que faz parte do Sistema da Agricultura Familiar, como um dos fatores do aumento.

“Apoiamos a cadeia produtiva do mel com ações de qualificação dos produtores, tornando a atividade uma fonte de renda que chega de forma rápida para melhorar a qualidade de vida deles”, ressalta Mendonça.

Desde 2015, o governo Flávio Dino investe na capacitação de agricultores familiares, criadores de abelhas e técnicos agropecuários. Em 2017, foram qualificados 162 criadores de abelhas e capacitados 83 técnicos barreiristas da Agência Estadual de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged-MA).

Por meio das atividades do projeto Dias de Campo, mais 206 criadores tiveram acesso ao conhecimento de técnicas de produção de rainhas e criação de abelhas nativas.

Conforme a Agerp, pela primeira vez na história, o governo do MA investe em tecnologia para explorar o potencial apícola do estado. Como exemplo, a agência cita o treinamento de mais de 30 criadores e a substituição de cerca de 50 abelhas rainhas africanizadas “velhas” por “novas”, o que deve melhorar a produtividade dos criadores em até 30%.

Outra ação destacada da Cadeia Produtiva do Mel são as reformas e adequações de entrepostos de mel com o objetivo de agregar valor ao produto.

Em Junco do Maranhão, o governo investe na unidade de beneficiamento de mel, que terá capacidade de processar até 5 t/dia, quantidade suficiente para atender o mercado regional. O entreposto de mel de Junco está em processo de registro na Aged.

Melhoria no campo

Para o secretário de Estado da Agricultura Familiar, Adelmo Soares, a agricultura familiar é o eixo de desenvolvimento e as ações desenvolvidas no setor buscam a melhoria efetiva da vida no campo.

“Acreditamos que a partir da assistência técnica contínua e permanente, promovida em parceria com a Agerp, vamos alavancar o desenvolvimento do setor produtivo e a vida dos agricultores familiares”, ressalta o secretário.

O Sistema de Agricultura Familiar é formado pela Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (SAF), Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e de Extensão Rural do Maranhão (Agerp/MA) e Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma/MA).

Da redação, com informações da Agerp/MA

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: