Campanha alerta contra pirataria de sementes

milho_elzafiuza_12.jpg

Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

‘Tenha uma atitude legal: use sementes certificadas’. Com este slogan, a Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem) e Associação Paranaense de Produtores de Sementes e Mudas (Apasem) lançaram uma campanha de alerta contra a pirataria, que causa um prejuízo estimado em R$ 2,5 bilhões por ano ao agronegócio brasileiro.

O montante do prejuízo consta de estudo divulgado pela Apasem. Somente no Paraná, as perdas anuais com esse tipo de crime alcançam R$ 464 milhões.

Para chegar a esses números, os responsáveis pelo estudo analisaram as principais culturas agrícolas no país – como algodão, arroz, feijão, milho, soja e trigo –, a área cultivada, a quantidade de sementes, o valor médio de venda do produto e a taxa de utilização de cada um.

De acordo com o levantamento, toda a cadeia produtiva é afetada, inclusive os setores ligados à pesquisa, responsável pelo desenvolvimento de novas tecnologias e variedades mais produtivas.

“Em um futuro muito próximo, as pesquisas voltadas ao melhoramento de sementes tendem a diminuir drasticamente em nosso país, podendo causar um apagão tecnológico e a dependência total e adaptação de tecnologias estrangeiras em campos brasileiros”, ressalta o diretor executivo da Apasem, Clenio Debastiani.

Segundo especialistas do setor, além da conscientização dos produtores, o combate à pirataria de sementes e insumos depende da atualização de leis – como as que tratam da proteção de direitos intelectuais – e do reforço na fiscalização.

Na avaliação do presidente da Associação Brasileira de Obtentores Vegetais (Braspov), o engenheiro agrônomo Ivo Marcos Carraro, as brechas na legislação acabam servindo de proteção aos piratas. “Em meio a esses desafios surgem os oportunistas que se aproveitam de algumas fragilidades do setor.”

 

 

 



Categorias:Notícias

Tags:, , , , , ,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: