Falta de inteligência levou à intervenção

intervencao militar rj
Foto:  Fernando Frazão/Agência Brasil

Waldir Leite Roque/Prof. Titular, UFPB

Vender a imagem de um governo por meio de um slogan é sempre uma jogada de marketing para associar as ações do governo ao seu representante maior, quer seja Prefeito, Governador ou Presidente da República. Porém, esta marca muitas vezes cai em descrédito pela simples evidência da população das contradições entre as ações e a bela frase do slogan.

No segundo governo da Presidente Dilma Rousseff, o slogan “Pátria Educadora” sucumbiu pela falta de ações concretas para a melhoria da educação nos seus mais diversos níveis. A vedete foi a criação do programa Ciência sem Fronteiras, que estava longe de ser unanimidade na comunidade científica brasileira e que retirou recursos já escassos de outros setores de fomento à pesquisa e inovação. Quem em sã consciência acreditou nesse slogan?

Tão logo o governo Temer assumiu interinamente, foi lançado o slogan “Ordem e Progresso”, apelando para o lema posto na bandeira nacional, símbolo maior da nação. O governo encontrou a economia brasileira despencando e os postos de emprego sumindo numa rapidez incontrolável. Elegeu a economia como a prioridade das prioridades. De fato, o bem-estar da economia é muito importante para a geração de empregos e renda, para o desenvolvimento dos negócios e qualidade social, que, dando certo, retorna em crédito político para o próprio governo.

Podemos dizer que a economia está associada ao Progresso expresso no slogan. Por outro lado, o slogan traz a Ordem em primeiro plano na frase. A Ordem quer dizer, entre outras coisas, segurança pública e o que se vê é um verdadeiro temor e abandono da população que está refém do crime organizado e da violência cotidiana sem que nada esteja efetivamente sendo feito, muito menos no ritmo das propostas para a retomada da economia. Temer, a segurança pública da população está tão ruim ou pior do que a economia, a segurança pública também é prioridade já. É bom não esquecer que o tiro do slogan pode sair pela culatra, colando uma imagem negativa.

O texto acima, intitulado “Temer, segurança é prioridade”, foi publicado no Jornal Correio da Paraíba em 15/08/2016, início do governo Temer. A intervenção na segurança do estado do Rio de Janeiro era totalmente previsível, tendo em vista que o crime organizado aumentava a olhos nu e no seu vácuo os crimes mais comuns, como furtos, roubos, saques e arrastões, apontando para um grande problema de segurança pública nacional. Não era preciso ser vidente ou estudioso no assunto para sentir o que estava acontecendo e saber que “é melhor prevenir do que remediar”.

Sem um trabalho muito criterioso de inteligência é difícil estancar a criminalidade, principalmente quando as forças de segurança estaduais estão defasadas em sua capacidade de gerenciamento, contingente e equipamentos, incluindo armamento moderno, frente às organizações criminosas. Infelizmente, o Brasil sempre deixa para solucionar os seus problemas depois que a casa é roubada, ou que os mosquitos invadem as cidades, e é isso que estamos mais uma vez remediando e pagando a conta agora com a intervenção do Rio de Janeiro.

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: