Sindag reforça ao Ibama pedido sobre regras do órgão para setor aeroagrícola

aviao agricola claro CastorBeckerJr-C5NewsPress-23 (2)
Foto: Castor Becker Jr/Sindag

Pela terceira vez em 45 dias, o Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) protocolou pedido no Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para que o órgão informe oficialmente quais as obrigações cobradas dos operadores aeroagrícolas em suas fiscalizações. A intenção do sindicato aeroagrícola é fornecer o checklist aos empresários do setor para orientá-los sobre o que precisam ter em suas empresas e lhes garantir segurança jurídica.

Os pedidos – o último foi apresentado nessa terça-feira (5) – também visam prevenir interpretações conflitantes por parte dos fiscais, tanto entre si quanto em relação a regulamentações de outros órgãos federais, estaduais e municípios.

O assunto chegou a ser tema de uma reunião ocorrida em abril, na própria sede do Ibama, em Brasília, entre uma comitiva do Sindag – liderada pelo presidente Júlio Kämpf – e representantes do órgão. Junto com o diretor Thiago Magalhães e do diretor-executivo Gabriel Colle, Kämpf reiterou a importância do documento, inclusive por uma questão de transparência.

“Na verdade, queremos contribuir com os fiscais e, ao mesmo tempo, dar segurança aos empresários que, afinal, querem entender e atender os critérios das fiscalizações”, ressalta Kämpf.

Sisvag e marco regulatório

O checklist do Ibama deverá integrar o Sistema Nacional de Documentação da Aviação Agrícola (Sisvag), uma plataforma de consulta com as legislações e regulamentações sobre aviação agrícola em todo o país. O acervo inclui normas estaduais e municipais e conta também com pareceres técnicos dos órgãos regulamentadores e pareceres jurídicos do Sindag.

No caso do Ibama, a busca de informações claras a respeito dos requisitos do órgão na verdade já teve capítulos desde novembro do ano passado, quando o então ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, prometeu a criação de grupo de trabalho para estabelecer um marco regulatório para as fiscalizações sobre a aviação agrícola.

O grupo deveria contar com representantes do Ministério da Agricultura e da Anac, justamente para esclarecer as competências de cada órgãos, os regulamentos cobrados por cada um e as rotinas do setor aeroagrícola.

A promessa foi feita durante audiência da Comissão de Agricultura, Pecuária Abastecimento e Desenvolvimento Rural, na Câmara dos Deputados. Na ocasião, o Sindag chegou a apresentar casos de operadores que foram autuados pelo Ibama por não terem licenças estaduais onde o próprio estado havia informado oficialmente não existir tais licenças. Fato que acabou provocando ações dos operadores na Justiça Federal para poderem trabalhar.

 

AGROEMDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: agroemdia@gmail.com - (61) 992446832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: