Pressionado pela pecuária e custos de produção, PIB do agro cai 0,16%

bovinos 25 1 19
Ramo pecuário teve queda de 1,18% no PIB em outubro de 2018- Manuela Bergamim/Embrapa

O PIB do agronegócio brasileiro recuou 0,16% em outubro/18, segundo pesquisas do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, em parceria com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil). No acumulado de janeiro a outubro, o cenário seguiu negativo para a renda do setor, com queda de 0,62%. A pressão segue vindo do ramo pecuário.

Conforme pesquisadores do Cepea/CNA, o desempenho negativo da renda gerada no agronegócio em 2018 está ligado à elevação de custos de produção nos segmentos primários agrícola e pecuário e às quedas principalmente relacionas à demanda verificadas em diversas atividades do ramo pecuário.

De acordo com levantamentos do Cepea/CNA, o ramo pecuário registrou queda de 1,18% em outubro, enquanto o agrícola cresceu 0,26% no mês. No ano (de janeiro a outubro), os movimentos são na mesma direção, com recuo de 10,90% para o pecuário e alta de 3,85% para o agrícola.

No ramo pecuário, a demanda interna enfraquecida e o fechamento de importantes mercados externos destinos da carne – bovina, suína e de aves – do Brasil influenciaram os preços com maior intensidade ao longo do ano.

No entanto, a disputa comercial entre China e Estados Unidos, além do câmbio favorável à elevação da competitividade da proteína brasileira no mercado externo, surtiu efeitos favoráveis às exportações da carne brasileira desde setembro, notadamente com destinação a mercados asiáticos, o que resultou em certa sustentação de preços de outubro (no acumulado, porém, o resultado segue negativo).

O segmento primário do ramo pecuário também sofreu impactos do incremento de custos de produção, com destaque para a elevação do preço do milho no período.

Quanto ao ramo agrícola, apesar da recuperação dos preços ao longo de 2018, a esperada elevação na produção e o incremento nos custos, com destaque para os preços dos fertilizantes e do diesel, ainda mantêm o segmento primário com renda baixa no ano.

PIB-volume

As projeções para 2018 do PIB-volume do agronegócio, calculado pelo critério de preços constantes, seguem apontando crescimento, em todos os segmentos.

O PIB-volume do agronegócio deve crescer 2,21% em 2018, com altas de 5,31% para insumos, de 0,97% para o segmento primário, de 2,33% para a agroindústria e de 2,56% para os agrosserviços.

Do Cepea

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta