Agro reforça rejeição à tabela do frete; pressão para eliminá-la deve crescer

ronaldo 0
Executivo da Anapa, Ronaldo Troncha diz que tabela prejudica o setor – Elio Rizzo/AGROemDIA

Da redação/AGROemDIA

Uma das maiores preocupações do agronegócio, hoje, é a tabela do frete rodoviário, criada no ano passado pelo governo federal durante a negociação para suspender a paralisação nacional dos caminhoneiros. O tabelamento foi uma das principais queixas feitas pelos representantes de cerca de 50 entidades do setor rural que se reuniram nesta semana, em Brasília, para começar a elaborar uma agenda comum de reivindicações do agro para enviar ao Executivo, Legislativo e Judiciário.

A reunião, realizada na quinta-feira (23), foi articulada pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) e Instituto Pensar Agro (IPA). Ficou acertado que que cada entidade enviará suas reivindicações para a CNA consolidá-las. Depois, a agenda comum será apresentada aos demais setores da economia para que também se envolvam no debate.

Citada várias vezes no encontro, a tabela do frete tem lugar garantido entre os temas a serem incluídos na pauta única. “O tabelamento do frete está incomodado muito o agro”, disse ao AGROemDIA o diretor-executivo da Anapa (Associação Nacional dos Produtores de Alho), Ronaldo Troncha, que também representou a Anace (Associação Nacional dos Produtores de Cebola).

Petição

A cadeia produtiva agrícola, em sua maioria, defende o fim da tabela do frete por entender que ela fere a livre concorrência e causa insegurança jurídica. Nesta semana, a CNA ajuizou, no Supremo Tribunal Federal (STF), pedido de liminar para suspender a eficácia jurídica dos últimos normativos da Agência Nacional de Transportes Terrestres que aumentaram os valores da tabela.

Na petição, a CNA solicita ainda que não haja qualquer outro ato normativo que aumente o valor da tabela até o julgamento pelo plenário do STF das ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs) – a CNA é autora de uma dela – que contestam a política do frete.

Reunião

O executivo da Anapa também destacou o ineditismo da reunião. “É importante buscarmos, de forma unida, soluções para os problemas comuns do agro. E nada melhor que isso seja feito sob a coordenação da CNA, OCB, FPA e IPA.”

Ronaldo Troncha lembrou ainda que o setor rural, apesar de ser o mais exitoso da economia brasileira, ainda enfrenta muitos obstáculos. “É preciso removê-los para que a cadeia produtiva agrícola possa crescer ainda mais, gerando emprego e renda.”

Entre outras entidades, participaram da reunião a  ABPA (Associação Brasileira dos Produtores de Abacate), Abrapa (algodão), ABPA (proteína animal), Aprosoja (soja), Abramilho (milho), Assocon (Associação Nacional de Pecuária Intensiva), ABHB (Associação Brasileira de Hereford e Braford ), Vialácteas, Orplana (Organização de Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil), Feplana (Federação dos Plantadores de Cana do Brasil) e Sindag (aviação agrícola).

 

 

 

 

 

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Um comentário em “Agro reforça rejeição à tabela do frete; pressão para eliminá-la deve crescer

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: