Maranhão lança programa de apoio à produção e industrialização de arroz

arroz embrapa 18 8 19
Arte: Marcos Aurélio Gonçalves/Embrapa

O Maranhão quer fortalecer a cultura do arroz. Para tanto, o governo do estado e o Sindarroz (Sindicato das Indústrias de Arroz do Estado do Maranhão) lançaram o Programa Estadual de Apoio à Industrialização e ao Fomento da produção de Arroz do Estado do Maranhão, nesta semana, na Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema).

O programa foi criado por meio do Decreto 34.933, de 11 de junho de 2019. Por seu intermédio, o governo maranhense está concedendo benefícios fiscais e financeiros para incentivar a produção, o beneficiamento, rebeneficiamento e empacotamento de arroz no estado.

Segundo o subsecretário da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), Expedito Rodrigues, o plano contribuirá para o aumento da produção de arroz no estado. “Essa é uma importante medida do governador Flávio Dino, trabalhada pelo secretário Simplício Araújo, que vai se refletir com a volta do Maranhão ao topo dos principais produtores e beneficiadores do país.”

De acordo com o presidente do Sindarroz, Jeremias Gaspar Netom o decreto era a principal reivindicação da cadeia produtiva. Por causa da tributação, assinalou, os produtores não estavam tendo condições de concorrer com outros estados. “O governador Flávio Dino foi sensível a nossa reivindicação. Vamos dar um passo muito importante, tanto na indústria, como na produção.”

Além da Seinc e do Sindarroz, as secretarias de Fazenda e Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima) e a Fiema contribuíram para a elaboração do decreto. “O decreto é o primeiro passo. Teremos outros no futuro e, com certeza, aumentaremos a produção de arroz no estado”, afirmou o vice-presidente da Fiema, Celso Gonçalo.

Produtores apostam no programa

Com o decreto, muitos produtores apostam que o Maranhão aumentará a produção de arroz. É o caso do empresário Marcus Brandão, da cidade de Colinas: “Com esse incentivo, vamos produzirmos mais e assim, gerar emprego e renda”, pontuou.

Para o gerente de suprimentos da Camil, Luis Eduardo Reis, que trabalha com 70 produtores maranhenses, o decreto representa competitividade:

“Hoje, os investimentos estão existindo e podem melhorar, mas precisava de um apoio na parte fiscal e tributária. O estado está contribuindo muito para esse crescimento. A indústria que atua no Maranhão está preparada para isso, vai atrair várias empresas, o que é oportuno porque a gente tem um estado com uma cobertura muito grande. É uma ação do governo que impacta diretamente na indústria maranhense.”

Da redação, com informações do governo do Maranhão

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: