Acordo Mercosul-UE: Sindilat pede medidas compensatórias para o setor leiteiro  

sindilat expointer Leticia Breda
Foto: Letícia Breda/Divulgação

O Sindilat do Rio Grande do Sul defende a adoção de medidas compensatórias que ajudem o setor lácteo a enfrentar a concorrência com os importados que ingressarão no país em decorrência do recente acordo entre o Mercosul e a União Europeia (UE). Para o sindicato, o tratado de livre comércio agrava a situação dos produtores e dos laticínios, que vêm enfrentando dificuldades há tempo.

“Sabemos da importância dos acordos para melhorar a estrutura econômica do país, mas entendemos que ainda não estamos preparados para certas ações. Precisamos ter medidas compensatórias até que sejamos competitivos o suficiente”, disse, durante a Expointer, em Esteio (RS), o presidente do Sindilat/RS, Alexandre Guerra, enfatizando o mercado nacional sofrerá, além da concorrência com os países do Mercado, o impacto dos itens europeus.

O assunto foi debatido em audiência pública promovida pelo Senado nessa sexta-feira (30/8), na Expointer. A reunião foi requerida pelo senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), que acredita que o país colherá em breve os frutos desse novo acordo.

Segundo o secretário da Agricultura do RS, Covatti Filho, o acordo representa uma abertura econômica para o Brasil, mas vem sendo analisado criteriosamente. “O acordo é positivo, mas com algumas ressalvas. Temos dois setores profundamente afetados: o leite e vinho. Por isso, a tensão e as discussões são necessárias e precisam ser amplamente debatidas.”

“Essa é uma grande oportunidade de aumentar a competitividade de setores que hoje não são competitivos”, enfatizou o secretário da Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Fernando Schwanke, ao defender a abertura das negociações.

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: