Queijo mussarela tem alta de 11,3% em julho e leite em pó, de 1,69%, diz Cepea

Foto: Pixabay License

O queijo mussarela teve alta de 11,3% em julho no mercado atacadista de São Paulo, chegando a R$ 24,95/kg, e de 38,4% quando comparado a igual mês de 2019. É o que informa o Boletim do Leite de agosto do Cepea/Esalq/USP, divulgado nesta semana.

“O preço do leite em pó (400g) também avançou pelo segundo mês consecutivo e a média de julho chegou a R$ 20,12/ kg, valor 1,69% maior que o do mês anterior e 49,7% acima do de julho/19, em termos reais”, acrescenta o boletim.

Leia, abaixo, análise de Débora Zanatta e Beatriz Pina, da equipe Leite do Cepea, sobre o mercado de derivados lácteos no mês de julho:

Valor do queijo mussarela atinge recorde real da série do Cepea

Por Débora Zanatta e Beatriz Pina

“Os estoques de derivados reduzidos seguiram sustentando em altos patamares as cotações dos lácteos no mercado atacadista do estado de São Paulo em julho. O destaque foi o queijo mussarela, que registrou consecutivas valorizações diárias ao longo do mês, fazendo com que o preço médio atingisse recorde real da série do Cepea, a R$ 24,95/kg em julho. O valor médio do derivado subiu 11,3% em relação ao mês anterior e 38,4% quando comparado a julho/19, em termos reais (os valores foram deflacionados pelo IPCA de julho/20).

O preço do leite em pó (400g) também avançou pelo segundo mês consecutivo e a média de julho chegou a R$ 20,12/ kg, valor 1,69% maior que o do mês anterior e 49,7% acima do de julho/19, em termos reais.

Agentes consultados na pesquisa realizada pelo Cepea, com o apoio financeiro da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), afirmaram que a demanda pela mussarela e pelo leite em pó esteve aquecida e que isso coincidiu com um momento de estoques reduzidos de ambos os produtos, tendo em vista a menor captação de leite no campo.

Neste contexto de oferta limitada no campo e de maior concorrência das indústrias para a compra de matéria-prima, as cotações do preço do leite ao produtor se elevaram e essa alta foi repassada para o preço dos derivados.

Contudo, esse repasse foi mais difícil de ser feito para o leite longa vida (UHT). É importante lembrar que o UHT é o lácteo mais consumido no Brasil, sendo um produto importante para os canais de distribuição realizarem promoções para atrair consumidores. Assim, em julho, este derivado registrou média mensal de R$ 3,18/ litro, leve recuo de 0,6% frente a junho/20, mas alta de 31,8% se comparada à de julho/19, em termos reais.

Agosto

Os preços dos derivados continuaram em movimento altista na primeira quinzena de agosto, devido aos estoques reduzidos. Apesar de a demanda por UHT ter se enfraquecido levemente em relação às semanas anteriores, o preço do lácteo seguiu firme, com a média da parcial deste mês a R$ 3,41/litro. As negociações de mussarela e leite em pó continuaram aquecidas e os preços médios na primeira quinzena do mês chegaram a R$ 26,72/kg e R$ 22,94/kg, respectivamente.”

 

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta