Estiagem reduz produção de citrus; quebra da safra em 20/21 é a maior da história

Foto: Divulgação

De maneira geral, a citricultura paulista registrou preços elevados em 2020. Com a menor produção de laranjas no cinturão citrícola (São Paulo e Triângulo Mineiro) na safra 2020/21 devido ao clima adverso, a necessidade de matéria-prima por parte da indústria continuou alta ao longo do ano, fator que sustentou os valores da fruta.

Segundo o relatório de 10 de dezembro do Fundecitrus, o cinturão deve ter a maior quebra de safra (em termos percentuais) desde 1988/89, quando se iniciou a série histórica. No total, a produção de laranja deve cair 30% na temporada 2020/21, somando 269,36 milhões de caixas de 40,8 kg.

Conforme colaboradores do Cepea, a maior demanda industrial em 2020 diminuiu a disponibilidade no mercado de mesa, visto que houve casos de produtores tipicamente do segmento que preferiram direcionar suas frutas à indústria, diante das incertezas da pandemia e dos preços atrativos no processamento.

Esse cenário, somado às adversidades climáticas (que acentuaram a baixa disponibilidade de frutas com padrão para a mesa) e à demanda aquecida, impulsionou as cotações das laranjas de mesa em praticamente todos os meses de 2020.

No mercado de lima ácida tahiti, a oferta esteve bastante elevada entre janeiro e abril, período de pico de safra. Ainda que as exportações tenham sido aquecidas nesse intervalo, os valores foram pressionados pela alta disponibilidade.

A elevada carga das plantas naquele momento, por sua vez, resultou em queda nas produções seguintes, aumentando os preços, especialmente a partir de julho, quando passaram a operar em patamares recordes nominais da série histórica do Cepea (iniciada em 1996). A baixa produção no segundo semestre foi agravada pela estiagem em alguns períodos.

Quanto às exportações da fruta, atingiram recorde em 2020.

Do Cepea

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: