Indústria láctea pede apoio de produtores e varejo para evitar colapso   

Do Broadcast

A indústria brasileira de laticínios divulgou comunicado no qual pede união de esforços para evitar o colapso do setor. O documento é assinado por nove entidades.

Conforme o alerta, as indústrias tiveram impacto da queda de consumo com a expressiva redução do auxílio emergencial na pandemia. Está asfixiada pela alta dos insumos de produção, particularmente pelo valor recorde do leite pago ao produtor, e pelo aumento de preços no varejo, por isso, “corre risco”, diz o documento.

“O boom das commodities, particularmente soja e milho, elevou o custo de produção do leite no campo às alturas e o esforço empreendido pela indústria em pagar ao produtor pelo alto preço do leite está esgotado desde o início do ano”, destaca a nota.

Além disso, fortemente pressionada pelo varejo em virtude da retração na demanda, segundo as indústrias, o setor não consegue repassar os aumentos de custos e amarga significativos prejuízos em todos os segmentos do mercado de produtos lácteos, tornando inviável o processamento do leite. “Quanto mais se produz, mais se caminha para o abismo”, lamentam.

De acordo com os industriais, essa situação é preocupante e ameaça provocar colapso em um setor “caracterizado por empresas de capital nacional cuja atividade emprega milhares de trabalhadores e sustenta mais de 1 milhão de produtores rurais que fazem do Brasil o terceiro maior produtor mundial de leite”.

Os empresários declaram que, “prevendo a enorme crise a ser provocada pela continuidade desse cenário, a indústria brasileira de laticínios alerta que a solução passa pelo compartilhamento do sacrifício. Produtores, varejo e o governo devem se juntar ao esforço da indústria na superação deste momento difícil”, concluem.

Assinam o documento:

ABLV – Associação Brasileira da Indústria de Lácteos Longa Vida.

ABIQ – Associação Brasileira das Indústrias de Queijo

G100 – Associação Brasileira das Pequenas e Médias Cooperativas e Empresas de Laticínios

SINDLEITE SP – Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados no Estado de São Paulo

SILEMG – Sindicato da Indústria de Laticínios do Estado de Minas Gerais

SINDILEITE SC – Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Estado de Santa Catarina

SINDILEITE GO – Sindicato das Indústrias de Laticínios no Estado de Goiás

SINDILEITE BA – Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite do Estado da Bahia.

SINDLAT RJ – Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Rio de Janeiro

Nota assinada por 9 entidades do setor diz que boom das commodities, particularmente soja e milho, elevou o custo de produção do leite no campo, criando dificuldades para pagar o produtor de leite

Do Broadcast

A indústria brasileira de laticínios divulgou comunicado no qual pede união de esforços para evitar o colapso do setor. O documento é assinado por nove entidades.

Conforme o alerta, as indústrias tiveram impacto da queda de consumo com a expressiva redução do auxílio emergencial na pandemia. Está asfixiada pela alta dos insumos de produção, particularmente pelo valor recorde do leite pago ao produtor, e pelo aumento de preços no varejo, por isso, “corre risco”, diz o documento.

“O boom das commodities, particularmente soja e milho, elevou o custo de produção do leite no campo às alturas e o esforço empreendido pela indústria em pagar ao produtor pelo alto preço do leite está esgotado desde o início do ano”, destaca a nota.

Além disso, fortemente pressionada pelo varejo em virtude da retração na demanda, segundo as indústrias, o setor não consegue repassar os aumentos de custos e amarga significativos prejuízos em todos os segmentos do mercado de produtos lácteos, tornando inviável o processamento do leite. “Quanto mais se produz, mais se caminha para o abismo”, lamentam.

De acordo com os industriais, essa situação é preocupante e ameaça provocar colapso em um setor “caracterizado por empresas de capital nacional cuja atividade emprega milhares de trabalhadores e sustenta mais de 1 milhão de produtores rurais que fazem do Brasil o terceiro maior produtor mundial de leite”.

Os empresários declaram que, “prevendo a enorme crise a ser provocada pela continuidade desse cenário, a indústria brasileira de laticínios alerta que a solução passa pelo compartilhamento do sacrifício. Produtores, varejo e o governo devem se juntar ao esforço da indústria na superação deste momento difícil”, concluem.

Assinam o documento:

ABLV – Associação Brasileira da Indústria de Lácteos Longa Vida.

ABIQ – Associação Brasileira das Indústrias de Queijo

G100 – Associação Brasileira das Pequenas e Médias Cooperativas e Empresas de Laticínios

SINDLEITE SP – Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados no Estado de São Paulo

SILEMG – Sindicato da Indústria de Laticínios do Estado de Minas Gerais

SINDILEITE SC – Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Estado de Santa Catarina

SINDILEITE GO – Sindicato das Indústrias de Laticínios no Estado de Goiás

SINDILEITE BA – Sindicato das Indústrias de Laticínios e Produtos Derivados do Leite do Estado da Bahia.

SINDLAT RJ – Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do Estado do Rio de Janeiro

AGROemDIA

O AGROemDIA é um site especializado no agrojornalismo, produzido por jornalistas com anos de experiência na cobertura do agro. Seu foco é a agropecuária, a agroindústria, a agricultura urbana, a agroecologia, a agricultura orgânica, a assistência técnica e a extensão rural, o cooperativismo, o meio ambiente, a pesquisa e a inovação tecnológica, o comércio exterior e as políticas públicas voltadas ao setor. O AGROemDIA é produzido em Brasília. E-mail: contato@agroemdia.com.br - (61) 99244.6832

8 comentários em “Indústria láctea pede apoio de produtores e varejo para evitar colapso   

  • 24 de julho de 2021 em 12:47
    Permalink

    Não entendi. Os preços subiram devido ao auxílio emergencial, então é óbvio que cortando o auxílio, o consumo iria cair, junto com os PREÇOS. Querem é continuar vendendo o leite caro. Para os produtores, quanto mais inflação melhor.

    Resposta
  • 24 de julho de 2021 em 14:11
    Permalink

    Produzi leite por 30 anos e nunca vi a industria beneficiar o produtor. Não é por causa do produtor (submisso ao laticinio) que existe crise! O produtor nem preço põe no seu pesado trabalho, e sim o poderoso LATICINIO.

    Resposta
  • 24 de julho de 2021 em 20:34
    Permalink

    Alguém nessa cadeia produtiva está enriquecendo! Lili do queijo a quase 40,00 reais e litro do leite beirando 5,00 e o cara ainda reclama? Se tem alguém a reclamar é o consumidor final que paga esse absurdo enquanto o agronegócio enriquece vendendo tudo pra China!

    Resposta
  • 25 de julho de 2021 em 13:03
    Permalink

    Pedir mais sacrifício do produtor rural é só se ele se suicidar, a indústria sempre pagou miséria pelo leite e o produtor sempre amargou o prejuízo e a indústria nunca fez nada. A indústria tem que ir em cima do governo, do ministro da economia, enquanto o real continuar sendo desvalorizado propositadamente pelo ministro da economia para favorecer o dólar, o pequeno produtor vai penar e as indústrias também vão sentir a longo prazo.

    Resposta
  • 26 de julho de 2021 em 19:10
    Permalink

    Quem está pagando o pato é o produtor e não a Indústria. A Indústria tem muita gordura para queimar, isso daí é golpe. Vocês tiram tudo do leite. Todos os derivados. Depois vendem a água. O produtor merece preço melhor. Paguem e dei em de fazer promoção de leite nós mercados.

    Resposta
  • 26 de julho de 2021 em 22:40
    Permalink

    Produtores não consegue mais sustentar o Brasil.
    Os atravessadores que ganham sem produzir nada.

    Resposta
  • 27 de julho de 2021 em 00:16
    Permalink

    Trabalho com produtos lácteos a mais de 10 anos e todas as vezes que o mercado no ano anterior tem uma demanda elevada e um ganho grande de lucro, os outros anos subsequente são péssimos, visto que esse ano ainda é pior pelo falta de recursos oriundo dos auxílio emergencial, consumo em queda e produtos clandestino, o aumento do desemprego tbm e outro fator, muitos produtores clandestino estão vendendo produtos a baixo do valor de mercado, trazendo toda cadeia de produção formal para preços impraticáveis, a forma de distribuição por parte de laticínios pequenos tbm atrapalham muito o mercado, pois despejam toneladas de produtos em distribuidores sem CNPJ, onde esses não trabalham com despesas fixa de imposto, funcionários e transporte, isso pra mim e um dos motivos da crise.

    Resposta
  • 27 de julho de 2021 em 01:53
    Permalink

    É uma vergonha ler isso, compartilhar sacrifício, chega a ser cômico! A indústria nunca esteve preocupada com o produtor de leite, ela sempre garantiu a margem de lucro dela e sempre esfolando o produtor, o leite é um dos poucos produtos que quem produz não dita o preço pois é a indústria que coloca preço no produto, recebemos o mês produzido após 10…20… 30 dias e pagamos a maior parte dos insumos a vista, se tem pouco produtor de leite hoje em dia a indústria tem boa parte de culpa disso, nós esfolaram por anos! Querer que o produtor de leite compartilhe com o prejuízo de vocês é querer aproveitar do elo mais fraco da corrente! VÁ VOCÊS PRESSIONAREM O VAREJO, POIS O VAREJO SEMPRE TRAVA SUAS MARGENS E POSSUEM GORDURA PARA QUEIMAR!

    Resposta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: